Meteorologia

  • 24 NOVEMBRO 2020
Tempo
15º
MIN 9º MÁX 18º

Edição

Sarauís manifestam-se contra ocupação marroquina no Saara Ocidental

Várias dezenas de sarauís manifestaram-se hoje com bandeiras e estandartes em frente a um dos múltiplos postos de observação militares construídos por Marrocos no deserto do Saara, reivindicando o fim da ocupação marroquina naquela região.

Sarauís manifestam-se contra ocupação marroquina no Saara Ocidental
Notícias ao Minuto

23:13 - 19/10/20 por Lusa

Mundo Sarauis

Os protestos foram convocados por várias organizações da sociedade civil e os manifestantes exigiram o encerramento dos postos fronteiriços, em particular, o de Gargarat, que separa a zona da Mauritânia da do antigo Saara Ocidental e que Marrocos ocupa desde 1975, dá conta a agência espanhola Efe.

Os sarauís exigem também que a Organização das Nações Unidas (ONU) honre o compromisso assumido depois do cessar-fogo de 1991 e organize um referendo à autodeterminação aceite na altura entre sarauís e marroquinos.

Reunidos em frente ao local por onde é usual entrarem as patrulhas da missão das Nações Unidas para um referendo no Saara Ocidental, os manifestantes também reclamaram o final "do saqueamento das riquezas" daquele território e o "fim das graves e sistemáticas violações dos direitos humanos nas zonas ocupadas sarauís".

Esta é a segunda vez desde 1991 que os sarauís desenrolam a sua bandeira perto deste muro com mais de dois mil quilómetros e comprimento.

Na última semana, o líder da República Árabe Sarauí Democrática, Brahim Ghali, recordou ao Conselho de Segurança da ONU da necessidade de acabar com a ocupação marroquina e advertiu para "os obstáculos impostos por determinadas partes, especialmente França, alimentam o regresso paulatino do conflito ao ponto de partida".

"Não só poderá ter consequências fatais para a paz e para a estabilidade da região, como também poderá afetar o prestígio e a credibilidade das Nações Unidas", assinalou Ghali em Ain Bentili, um dos considerados "territórios libertados" pelos sarauís.

O líder da República Árabe Sarauí Democrática condenou também as repetidas violações dos direitos humanos por Marrocos no Saara Ocidental e insistiu o posto fronteiriço instalado em Gargarat constituiu uma "porta de saída para os saqueamentos das riquezas sarauís e para o tráfico de drogas".

Por isso, Brahim Ghali exorta a ONU a trabalhar no sentido de "facilitar o processo de descolonização do Saara Ocidental", evitando, desse modo, um reacendimento do conflito entre ambas as partes.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório