Meteorologia

  • 22 OUTUBRO 2020
Tempo
13º
MIN 12º MÁX 19º

Edição

EUA. Republicanos ao som de "disco" e contra o comunismo

Um hino de "disco-sound", género musical que nasceu nos anos 1970 nos Estados Unidos como forma de revolta da comunidade homossexual, foi adotado como canção de campanha de apoio a Donald Trump, que se recandidata a Presidente do país.

EUA. Republicanos ao som de "disco" e contra o comunismo

O tema "Make America Great Again" com as iniciais "M.A.G.A" adotou a melodia da música "Y.M.C.A." dos Village People (1978) e foi cantado hoje pelos milhares de apoiantes de Donald Trump que percorreram a cidade de Miami, um dia antes da abertura do voto presidencial antecipado no estado da Florida.

A palavra de ordem do Partido Republicano "M.A.G.A." é amplificada através das colunas de som dos milhares de automóveis que às 18:00 (23:00 em Lisboa) ainda percorria a cidade de Miami com mensagens contra o "comunismo".

O desfile motorizado é encabeçado pelo veículo pesado de caixa aberta do grupo de extrema-direita 'Proud Boys' liderado por Enrique Tarrio, descendente de cubanos que se considera "um supremacista americano".

Os carros que participam no desfile levam bandeiras dos Estados Unidos e estandartes de campanha do candidato do Partido Republicano além de fotografias em tamanho real do presidente dos Estados Unidos, muitas coladas nos vidros dos automóveis.

"Eu vou votar em Donald Trump porque sou a favor do uso e porte de armas, porque precisamos de polícia e porque quero um país livre e não num país comunista que Biden quer trazer para cá. É por isso que eu gosto de Donald Trump", disse à Lusa, Anne Ortiz, uma jovem apoiante do Partido Republicano.

Uma grande parte dos veículos leva o cartaz "Latinos For Trump", bandeiras de Cuba ou da Venezuela, num estado em que a comunidade hispânica é considerada decisiva para o resultado das presidenciais de 03 de novembro.

Nos carros onde seguem famílias de origem cubana o "disco sound" é combinado com ritmos de salsa com letras de apoio ao candidato do Partido Republicano.

"Eu vou votar em Donald Trump. A minha gente vai sair à rua sem medo para votar. Por isso não me falhes. Meu deus, eu vou votar em Donald Trump", canta o vocalista de Los Tres de Havana, uma banda de salsa popular entre os apoiantes de Donald Trump, em Miami.

"Eu ainda não votei, talvez amanhã (segunda-feira) ainda não sei. Antes do dia 03 (de novembro) é preciso votar, porque eu quero liberdade e ele (Donald Trump) luta pela liberdade", disse à Lusa, Jaime C,. 30 anos, de origem cubano ao volante de um carro coberto de bandeiras dos Estados Unidos e de Cuba.

Na segunda-feira começa o voto antecipado na Florida, um estado considerado decisivo sobretudo por causa dos votos dos cidadãos de origem "latina".

A maioria dos "latinos" da Florida são originários de Cuba, Venezuela, Porto Rico e República Dominicana sendo um grupo de particular interesse político, devido ao crescimento da imigração nas últimas décadas.

Por outro lado, até ao momento, a votação por correio na Florida foi significativa, com 2,4 milhões de votos enviados pelo correio até sábado passado, de um total de 3,3 milhões boletins registados pelas autoridades eleitorais do estado.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório