Meteorologia

  • 25 OUTUBRO 2020
Tempo
18º
MIN 14º MÁX 19º

Edição

Nagorno-Karabakh: Presidente turco pede fim da "ocupação" arménia

O Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, pediu hoje o fim da "ocupação" arménia da região de Nagorno-Karabakh para acabar com a luta entre separatistas apoiados pela Arménia e as forças do Azerbaijão.

Nagorno-Karabakh: Presidente turco pede fim da "ocupação" arménia
Notícias ao Minuto

14:36 - 28/09/20 por Lusa

Mundo Nagorno-Karabakh

"Está na altura de terminar esta crise, que começou com a ocupação da região de Nagorno-Karabakh. Assim que a Arménia deixar o território que ocupa, a região vai recuperar a paz e a harmonia", disse Erdogan, cujo país é o principal apoiante do Azerbaijão neste conflito.

"Qualquer outra proposta não só seria injusta e ilegal, mas equivaleria a continuar a mimar a Arménia", acrescentou.

A Turquia considera que a Arménia "ocupa" Nagorno-Karabakh através dos separatistas hostis a Baku, que se autoproclamaram uma república em 1991, após a queda da União Soviética.

"A Turquia vai continuar ao lado do país irmão e amigo que é o Azerbaijão, com toda a dedicação e por todos os meios", acrescentou o Presidente turco, reiterando o forte apoio do seu país a Baku desde o início desta crise.

Dezenas de pessoas morreram nas últimas 24 horas em confrontos entre forças do Azerbaijão e os separatistas de Nagorno-Karabakh apoiados pela Arménia , de acordo com relatos hoje divulgados.

A situação aumenta o receio de uma guerra aberta entre os dois países.

Nagorno-Karabakh é uma região separatista do Azerbaijão, povoada principalmente por arménios e apoiada pela Arménia.

Foi o cenário de uma guerra no início dos anos 90, na qual morreram 30.000 pessoas, e desde então as autoridades azeris têm tentado recuperar o seu controlo, se necessário pela força, enquanto as conversações de paz permanecem num impasse há vários anos.

Os combates ocorrem regularmente entre separatistas e azerbaijaneses, bem como entre Yerevan e Baku.

Em 2016, os graves confrontos armados quase degeneraram numa guerra em Karabakh e, em julho de 2020, registaram-se igualmente combates entre arménios e azerbaijaneses na sua fronteira.

Uma guerra aberta entre os dois países poderá causar uma grave desestabilização da região, especialmente se a Turquia e a Rússia, que têm interesses divergentes no sul do Cáucaso, resolverem intervir no conflito.

A União Europeia considerou hoje a situação em Karabakh "muito preocupante" e avisou que qualquer interferência na região "é inaceitável".

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório