Meteorologia

  • 31 OUTUBRO 2020
Tempo
14º
MIN 13º MÁX 23º

Edição

Nagorno-Karabakh. EUA "condenam escalada de violência"

Os Estados Unidos manifestaram-se hoje "alarmados" com as "notícias de ações militares em larga escala ao longo da Linha de Contacto na zona de conflito de Nagorno-Karabakh" e condenaram "nos termos mais veementes esta escalada de violência".

Nagorno-Karabakh. EUA "condenam escalada de violência"
Notícias ao Minuto

21:48 - 27/09/20 por Lusa

Mundo Nagorno-Karabakh

"Os Estados Unidos estão alarmados com as notícias de ações militares em larga escala ao longo da Linha de Contacto na zona de conflito de Nagorno-Karabakh, que resultaram em baixas significativas, incluindo civis", fez saber o Departamento de Estado norte-americano através de um comunicado.

A sede da diplomacia norte-americana revelou ainda que o secretário Adjunto, Stephen Biegun, telefonou ao ministro azeri dos Negócios Estrangeiros, Jeyhun Bayramov, assim como ao seu homólogo arménio, Zohrab Mnatsakanyan, para "exortar as partes a cessarem imediatamente as hostilidades", aconselhando-as a comunicar diretamente, assim como a refrear a "retórica e ações inúteis que aumentem ainda mais tensões no terreno".

Washington sublinha ainda que a participação na escalada da violência de "partes externas" seria "profundamente inútil e apenas exacerbaria as tensões regionais".

"Instamos as partes a trabalharem com os copresidentes do Grupo de Minsk [Rússia, França e Estados Unidos] e a regressarem a negociações substantivas o mais depressa possível", diz o comunicado.

Os Estados Unidos, na qualidade de copresidente do Grupo de Minsk da OSCE, "continuam empenhados em ajudar as partes a alcançar uma solução pacífica e sustentável para o conflito", concluiu o texto.

O Grupo de Minsk da OSCE (Organização para a Segurança e Cooperação na Europa) foi criado em 1992, após o desmembramento da União Soviética, para obter uma solução negociada para o enclave de Nagorno-Karabakh e integra, para além dos estados copresidentes, a Alemanha, a Itália, a Suécia, a Finlândia, a Bielorrússia e a Turquia.

A Arménia e o Azerbaijão estão em estado de guerra desde 1991, embora três anos depois tenham assinado um cessar-fogo, que vigora até hoje, apesar de violações por ambas as partes.

O Azerbaijão e a Arménia acusam-se mutuamente de terem iniciado hoje as hostilidades e declararam lei marcial, mantendo uma linguagem beligerante.

Nagorno-Karabakh é uma região separatista do Azerbaijão, habitada principalmente por arménios.

Território do Império Russo disputado pela Arménia e Azerbaijão durante a guerra civil após a revolução bolchevique de 1917, Nagorno-Karabakh foi anexada em 1921 por Josef Estaline à República Socialista Soviética do Azerbaijão, tendo obtido, a partir de 1923, um estatuto autónomo.

A União Europeia, o Conselho Europeu, a Rússia, a França e a Alemanha já lamentaram os confrontos e pediram a cessação imediata das hostilidades, bem como o regresso à mesa de negociações.

O presidente russo, Vladimir Putin, que atua como árbitro na região, pediu o fim dos confrontos.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório