Meteorologia

  • 20 OUTUBRO 2020
Tempo
18º
MIN 17º MÁX 20º

Edição

Suécia pondera medidas inéditas face ao aumento de casos em Estocolmo

As autoridades da Suécia ponderam adotar medidas restritivas locais em Estocolmo, devido ao recente aumento de infeções por covid-19, o que a confirmar-se significaria uma mudança na estratégia até agora adotada pelo pais no combate à pandemia.

Suécia pondera medidas inéditas face ao aumento de casos em Estocolmo
Notícias ao Minuto

19:07 - 22/09/20 por Lusa

Mundo Suécia

"A tendência de diminuição terminou. Se a curva continua a subir, a situação pode tornar-se perigosa", destacou o responsável sanitário de Estocolmo, Bjoern Eriksson.

Segundo as autoridades de saúde suecas, nos últimos sete dias registaram-se na capital 305 novos casos, face aos 254 na semana anterior.

Também o responsável da Saúde Pública da Suécia, Anders Tegnell, defensor até agora da postura adotada no país, reconheceu que se a tendência de aumento persistir, terão que ser pensadas "restrições locais" em Estocolmo.

A Suécia tem-se destacado da generalidade dos países e até dos outros países nórdicos, na mesma situação pandémica, ao não adotar qualquer recomendação para o uso obrigatório de máscaras.

Os responsáveis daquele país têm privilegiado a responsabilidade individual, ao invés de ditarem restrições, notícia a agência EFE.

Esta estratégia causou polémica, principalmente nos momentos de maior incidência da pandemia, quando o número de infeções e mortes era mesmo superior a outros países daquela região, que optaram por aplicar medidas.

Desde o início da pandemia registaram-se na Suécia 89.436 infetados com o novo coronavírus e 5.870 vítimas mortais.

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 965.760 mortos e mais de 31,3 milhões de casos de infeção em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Na Europa, o maior número de vítimas mortais regista-se no Reino Unido (41.825 mortos, mais de 403 mil casos), seguindo-se Itália (35.738 mortos, mais de 300 mil casos), França (31.338 mortos, mais de 458 mil casos) e Espanha (30.904 mortos, mais de 682 mil casos).

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório