Meteorologia

  • 28 OUTUBRO 2020
Tempo
21º
MIN 15º MÁX 21º

Edição

Erdogan quer reforma num Conselho de Segurança da ONU "injusto"

O presidente da Turquia, Recep Erdogan, considerou hoje "injusta" a composição do Conselho de Segurança das Nações Unidas e pediu a realização de uma reforma no órgão mais importante da ONU.

Erdogan quer reforma num Conselho de Segurança da ONU "injusto"
Notícias ao Minuto

19:02 - 21/09/20 por Lusa

Mundo Turquia

Ao discursar na Assembleia Geral das Nações Unidas, por ocasião dos 75 anos da criação da organização, Erdogan criticou o facto de apenas cinco países -- China, Estados Unidos, França, Reino Unido e Rússia (membros permanentes) -- decidirem o destino de 7.000 milhões de pessoas.

"Em primeiro lugar, devemos reformar o Conselho de Segurança. Um Conselho com uma estrutura que deixa a vida de 7.000 milhões de pessoas à mercê de cinco países não é justa nem tão pouco sustentável", afirmou o presidente turco numa intervenção gravada.

Erdogan referia-se sobretudo ao direito de veto de que dispõem os cinco países e com o qual podem bloquear qualquer resolução, independentemente dos apoios com que possam contar.

"Apesar de os ideais que estabeleceu, o sistema das Nações Unidas não pode prevenir os conflitos nem deter os que começaram", sublinhou.

Para Erdogan, esta situação é fruto de uma "ganância excessiva, de um egoísmo e de uma monopolização do poder", ao mesmo que tempo que é o resultado de um "desejo de continuar o colonialismo".

"São os maiores obstáculos à distribuição da justiça no sistema global", sustentou o Presidente turco, que já foi acusado de tentar amplificar a sua influência no Médio Oriente e no norte de África com o envolvimento em conflitos armados, como no sírio e no líbio.

Nesse sentido, o chefe de Estado da Turquia insistiu na necessidade de uma "nova arquitetura" no Conselho de Segurança, o que passa por uma "transparência democrática", que "responda pelas suas ações" e que "seja efetiva" e ainda com base numa "representação equitativa"

"Mais do que uma opção para a humanidade, [a reforma] converteu-se numa necessidade", frisou.

Na intervenção, Erdogan manifestou também "satisfação e orgulho" pela eleição do diplomata turco Volkan Bozkir como presidente da Assembleia Geral da ONU, que, hoje, na cerimónia que assinala os 75 anos, defendeu ser o momento para apoiar as Nações Unidas e dotá-la dos recursos de que necessita.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório