Meteorologia

  • 23 OUTUBRO 2020
Tempo
17º
MIN 12º MÁX 20º

Edição

Xi Jinping apela à cooperação e ao fim da "mentalidade de Guerra Fria"

O presidente chinês, Xi Jinping, pediu hoje, perante as Nações Unidas, para que os países abandonem a "mentalidade de Guerra Fria" e apostem na cooperação, na era pós-covid-19.

Xi Jinping apela à cooperação e ao fim da "mentalidade de Guerra Fria"
Notícias ao Minuto

18:38 - 21/09/20 por Lusa

Mundo China

"A mentalidade da Guerra Fria, as linhas ideológicas ou os jogos onde ninguém ganha não são solução para os problemas de um país e muito menos uma resposta aos desafios conjuntos da humanidade", sublinhou Xi, na sua intervenção por vídeo, na cimeira do 75º aniversário da ONU.

Em pleno conflito com os Estados Unidos, o dirigente chinês defendeu que é preciso "substituir o conflito pelo diálogo" e procurar interesses comuns entre as nações, destacando que todos os países devem atuar com respeito mútuo e sob o princípio da igualdade.

"Nenhum país tem o direito de dominar os negócios globais, controlar o destino dos outros ou ficar com todas as vantagens do desenvolvimento. Muito menos se deve permitir fazer o que bem entende e ser uma potência hegemónica, o bandido ou o dono do mundo", disse o Presidente chinês, numa uma mensagem destinada aos Estados Unidos.

Xi insistiu que "o unilateralismo é um beco sem saída" e defendeu que as vozes do mundo em desenvolvimento devem estar mais representadas na ONU, já que refletem os interesses da maioria dos estados.

O Presidente chinês destacou ainda as conquistas das Nações Unidas, desde a sua fundação em 1945, mas avisou que o mundo agora enfrenta vários desafios que representam um grande teste, incluindo o "ataque repentino da covid-19", referindo-se à pandemia.

"O mundo enfrenta agora um novo ponto de partida histórico", disse Xi, que pediu renovação, no momento que sucede à pandemia, bem como o compromisso com o multilateralismo e o trabalho a benefício de todos.

Além de falar na cimeira que marca o 75º aniversário, o Presidente chinês volta a intervir terça-feira com um discurso mais abrangente, no dia de abertura da Assembleia Geral da ONU.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório