Meteorologia

  • 26 OUTUBRO 2020
Tempo
10º
MIN 10º MÁX 18º

Edição

Nova Iorque vai erguer monumento em memória de Ruth Bader Ginsburg

A juíza do Supremo Tribunal dos Estados Unidos Ruth Bader Ginsburg, que morreu na sexta-feira, aos 87 anos, vai ser homenageada com um monumento em Brooklyn, local onde nasceu, disse hoje o governador de Nova Iorque, Andrew Cuomo.

Nova Iorque vai erguer monumento em memória de Ruth Bader Ginsburg
Notícias ao Minuto

19:46 - 19/09/20 por Lusa

Mundo Ruth Baber Ginsburg

O monumento em memória da magistrada nova-iorquina vai ser erguido como "recordação pelas suas contribuições" ao país, disse o governador do estado de Nova Iorque.

Andrew Cuomo acrescentou que vai ser constituída uma comissão para eleger o artista responsável pela homenagem a Ruth Bader Ginsburg.

A juíza do Supremo Tribunal norte-americano procurou "a verdade e a Justiça num mundo em divisão, dando voz aos que não tinham voz", considerou o governante.

"Como advogada, jurista e professora, redefiniu a equidade de género e os direitos civis, e assegurou que os Estados Unidos cumpriam com os seus ideais fundacionais. Era uma figura monumental de igualdade e todos podemos estar de acordo com o facto de merecer um monumento em sua honra", acrescentou.

A juíza do Supremo Tribunal dos Estados Unidos Ruth Bader Ginsburg morreu aos 87 anos de "complicações causadas por um cancro do pâncreas", anunciou na sexta-feira o tribunal.

Em comunicado, o tribunal indicou que a juíza "morreu (...) rodeada pela família, na sua casa, em Washington".

O juiz-presidente do Supremo Tribunal dos Estados Unidos, John Roberts, afirmou que o país "perdeu uma jurista de dimensão histórica".

"Perdemos uma colega estimada. Hoje estamos de luto, mas confiantes de que as gerações futuras recordarão Ruth Bader Ginsburg como nós a conhecemos, uma incansável e decidida campeã da justiça", indicou.

Em julho, Ginsburg tinha anunciado que estava a fazer quimioterapia para lesões no fígado, a última das várias batalhas que travou contra o cancro desde 1999.

Nos últimos anos como juíza do Supremo Tribunal, Ginsburg, conhecida pelas iniciais "RBG", afirmou-se como líder inquestionável da ala progressista da instituição e na defesa dos direitos das mulheres e das minorias, conquistando admiradores entre várias camadas da população norte-americana.

A morte da juíza representa um duro golpe para os progressistas norte-americanos e poderá alterar o equilíbrio da instituição em benefício dos conservadores, de acordo com vários observadores.

A questão da substituição de RBG vai dominar o final da campanha para as presidenciais norte-americanas, previstas para 03 de novembro.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório