Meteorologia

  • 24 MAIO 2024
Tempo
23º
MIN 13º MÁX 25º

Acusação a iraniano-britânica detida em Teerão é "injustificável"

O Governo do Reino Unido considera "injustificável" a nova acusação, hoje recebida por uma iraniano-britânica detida no Irão desde 2016, Nazanin Zaghari-Ratcliffe.

Acusação a iraniano-britânica detida em Teerão é "injustificável"
Notícias ao Minuto

21:40 - 08/09/20 por Lusa

Mundo Reino Unido

"Apresentar novas acusações contra Nazanin Zaghari-Ratcliffe é injustificável e inaceitável. Sempre defendemos que ela não deveria voltar para a prisão", disse um porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros.

Funcionária da Fundação Thomson Reuters, ramo filantrópico da agência noticiosa canadiano-britânica com o mesmo nome, Nazanin Zaghari-Ratcliffe foi detida com a filha em abril de 2016, em Teerão, onde tinha acabado de visitar a sua família.

A iraniano-britânica foi condenada em setembro do mesmo ano a cinco anos de prisão por participação em manifestações contra o poder em 2009, acusação que a própria desmente.

Nazanin-Zaghari-Ratcliffe viu ser-lhe concedida uma licença temporária da prisão de Evin, em Teerão, devido à pandemia do novo coronavírus, na sequência da qual foi posta em prisão domiciliária, controlada por pulseira eletrónica.

Há cerca de duas semanas o marido de Nazanin Zaghari-Ratcliffe disse temer que ela fosse alvo de um novo processo.

"Em privado, não param de dizer que vai haver um segundo julgamento (...) Temo que tal aconteça", frisou, em declarações à televisão ITV.

Richard Ratcliffe também foi interrogado sobre uma possível ligação entre a detenção da sua mulher e de outras pessoas com dupla nacionalidade e um contencioso sobre uma antiga dívida britânica de 400 milhões de libras (443 milhões de euros atualmente) ao Irão ligada a um contrato de armamento.

"Claro que não devia haver relação", comentou. "É totalmente escandaloso reter as pessoas e usá-las como garantia", mas "em privado o Governo [do Reino Unido] admitirá coisas", adiantou.

Tanto Londres como Teerão sempre desmentiram oficialmente qualquer relação do caso com essa dívida, relativa a um contrato de venda de tanques. Os britânicos terão recebido um adiantamento, mas o negócio não avançou devido à revolução islâmica de 1979 e o dinheiro estará numa conta congelada no Reino Unido.

O diário britânico Guardian noticiou na sexta-feira que o ministro da Defesa do Reino Unido, Ben Wallace, tinha reconhecido pela primeira vez que tentava "ativamente" pagar aquela dívida para permitir a libertação de Zaghari-Ratcliffe e de outros detidos iraniano-britânicos.

Recomendados para si

;
Campo obrigatório