Meteorologia

  • 12 ABRIL 2021
Tempo
22º
MIN 9º MÁX 22º

Edição

Primeiro-ministro do Líbano inicia consultas para novo governo

O novo primeiro-ministro Líbano, Mustafa Adib, iniciou hoje as consultas parlamentares para a formação do novo governo para que sejam aplicadas reformas urgentes no país que enfrenta uma grave crise política e económica. 

Primeiro-ministro do Líbano inicia consultas para novo governo
Notícias ao Minuto

09:24 - 02/09/20 por Lusa

Mundo Líbano

Os processos de formação dos novos executivos no Líbano costumam prolongar-se durante vários meses.

O Líbano é um país marcado pela presença de várias confissões religiosas e é governado por um sistema político complexo de partilha de poderes.

Mesmo assim, a pressão internacional, nomeadamente de França, antiga potência administrante, e a contestação local que aumentou após a trágica explosão no porto de Beirute, no dia 04 de agosto, tornando urgente a necessidade de reformas para que o país consiga sair da crise política e enfrentar os problemas económicos. 

O último governo, formado em janeiro, está demissionário na sequência da explosão que destruiu vários quarteirões da capital e que provocou 188 mortos e ferimentos em milhares de pessoas.

O novo primeiro-ministro, designado na segunda-feira, deve encontrar-se hoje com o presidente do Parlamento e com os representantes dos grupos parlamentares.

Diplomata pouco conhecido, Adid, de 48 anos, foi designado poucas horas antes da chegada do presidente francês, Emmanuel Macron, a Beirute.

O chefe de Estado francês disse ter garantias por parte do novo primeiro-ministro designado do Líbano de que o governo vai ser formado nos "próximos 15 dias". 

Macron anunciou igualmente que pretende voltar a visitar o país em dezembro para acompanhar os "progressos realizados". 

Hoje, o secretário de Estado adjunto norte-americano para os Assuntos do Médio Oriente, David Schenker, é esperado em Beirute para "exortar os dirigentes libaneses a aplicar reformas que consigam dar respostas aos anseios do povo". 

Os movimentos de contestação que começaram em outubro de 2019 acusam os políticos libaneses de corrupção e incompetência e já demonstraram rejeição em relação ao novo primeiro-ministro. 

Na terça-feira, centenas de pessoas manifestaram-se no centro da capital exigindo o fim do sistema confessional e pediram a implementação de um Estado laico no país.

A concentração ficou marcada por confrontos que obrigaram a intervenção da polícia.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório