Meteorologia

  • 01 DEZEMBRO 2020
Tempo
16º
MIN 11º MÁX 18º

Edição

Pequim adverte República Checa que pagará caro por visita a Taiwan

O ministro dos Negócios Estrangeiros da China avisou hoje a República Checa que pagará "caro" por "desafiar o princípio de 'uma China'", com a visita a Taiwan de uma delegação checa chefiada pelo presidente do senado.

Pequim adverte República Checa que pagará caro por visita a Taiwan

"Desafiar o princípio de 'uma China' é equivalente a tornar-se no inimigo de 1,4 mil milhões de chineses", advertiu Wang Yi, durante a atual viagem pela Europa, em declarações publicadas hoje pelo ministério dos Negócios Estrangeiros chinês.

O reconhecimento daquele princípio é visto por Pequim como uma garantia de que Taiwan é parte do seu território. A ilha funciona como uma entidade política soberana, apesar do regime chinês considerar que está sob a sua soberania.

O corte de laços diplomáticos com Taiwan é tido como a base para manter relações e contactos oficiais com Pequim.

Wang frisou que Taiwan é "parte inalienável" da China.

Para o ministro chinês, a visita da delegação checa liderada por Milos Vystrcil, "e das forças contra a China por trás dela", é "um ato de traição internacional".

"O Governo e o povo chinês não vão ignorar ou esperar por isso e devem fazer com que paguem caro pela sua falta de visão e especulação política", advertiu Wang.

A delegação checa, composta por 89 pessoas, desembarcou no Aeroporto Internacional de Taoyuan, em Taipé, onde foram recebidos pelo ministro dos Negócios Estrangeiros de Taiwan, Joseph Wu.

A visita oficial de Vystrcil e de outros líderes políticos e empresariais checos está programada durar até à próxima sexta-feira, 04 de setembro, quando os representantes checos se vão reunir com as autoridades taiwanesas e participar em feiras comerciais.

Vystrcil tem hoje programado um discurso "sobre liberdade, democracia e cooperação económica" entre os dois países, para estudantes os da Universidade Nacional de Chengchi, segundo a agência de notícias taiwanesa CNA.

Entre a delegação checa está o presidente da câmara de Praga, Zdenek Hrib, que já teve um desentendimento com as autoridades chinesas, no final do ano passado, devido a um incidente que levou à rutura da geminação entre as duas capitais, já que Pequim queria que o acordo cultural incluísse o compromisso de Praga com o princípio "uma China".

"Está claro que a chantagem é uma ferramenta padrão da República Popular da China", disse então Hrib, em entrevista à agência Efe.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório