Meteorologia

  • 28 JANEIRO 2021
Tempo
15º
MIN 11º MÁX 16º

Edição

Riad pede "sanções" para o Hezbollah pelo assassínio de Hariri

A Arábia Saudita pediu hoje para se "sancionar" o movimento xiita libanês Hezbollah depois do veredito do Tribunal Especial para o Líbano no caso do assassínio, em 2005 do ex-primeiro-ministro libanês Rafic Hariri.

Riad pede "sanções" para o Hezbollah pelo assassínio de Hariri

Após seis anos de processo judicial, o tribunal internacional baseado na Holanda considerou culpado o principal suspeito, Salim Ayyash, de 56 anos, membro do Hezbollah, do atentado em Beirute que matou 22 pessoas, incluindo Hariri.

Apesar de sublinhar que o assassínio foi "um ato político", o Tribunal Especial disse que não encontrou nenhuma prova para estabelecer uma "ligação direta" entre o ataque e o Hezbollah.

O Hezbollah é também aliado do Irão xiita, rival regional da Arábia Saudita sunita. O movimento é considerado uma organização "terrorista" por Riad.

"O governo saudita pede justiça e sanções ao Hezbollah e aos seus elementos terroristas para proteger o Líbano, a região e o mundo", declarou o Ministério dos Negócios Estrangeiros saudita, citado pela agência oficial de imprensa SPA.

O Hezbollah rejeitou qualquer responsabilidade pelo assassínio de Rafic Hariri e disse não reconhecer o Tribunal Especial para o Líbano.

Ayyash e os restantes três arguidos foram julgados à revelia.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório