Meteorologia

  • 02 DEZEMBRO 2020
Tempo
17º
MIN 10º MÁX 18º

Edição

Covid-19: Pastor crítico do Governo sul-coreano testa positivo

O pastor sul-coreano conservador Jun Kwang-hun testou positivo para o novo coronavírus, disseram hoje as autoridades sanitárias da Coreia do Sul, dois dias depois de o religioso participar numa manifestação antigovernamental em Seul que atraiu milhares de pessoas.

Covid-19: Pastor crítico do Governo sul-coreano testa positivo

De acordo com a agência de notícias AP, mais de 300 casos de contágio pelo vírus foram associados à igreja do reverendo Jun Kwang-hun, no norte de Seul, que surge como um grande foco de infeções na capital sul-coreana.

As autoridades estão preocupadas que a propagação do vírus possa piorar depois de milhares de manifestantes, incluindo Jun e os membros de sua Igreja Sarang Jeil, terem marchado contra o Governo no centro de Seul no sábado, apesar dos apelos das autoridades para ficarem em casa.

Trabalhadores da saúde até agora relacionaram 319 infeções à igreja de Jun depois de completar testes em cerca de 2.000 dos seus 4.000 membros. A polícia está à procura de cerca de 700 membros da igreja que permanecem fora de contacto.

De acordo com a agência de notícias AFP, cerca de um em cada seis fiéis testou positivo para o coronavírus, disse o vice-ministro da Saúde sul-coreano, Kim Gang-lip.

Uma lista de membros fornecida pela igreja foi considerada "imprecisa", disse o vice-ministro, tornando o rastreamento e o isolamento "muito difíceis".

O Ministério da Saúde e as autoridades de Seul entraram com duas queixas distintas contra Jun, acusando-o de dificultar deliberadamente os esforços para lidar com a epidemia.

O país registou hoje 197 novos casos da doença, elevando o número nacional desde o início da epidemia em fevereiro para 15.515 pessoas infetadas pelo novo coronavírus.

Este é o quarto dia consecutivo em que mais de cem infeções pelo vírus são contabilizadas, após várias semanas em que os números oscilaram entre trinta e quarenta.

Neste fim de semana, os governos de Seul e da província vizinha de Gyeonggi -- que conta com quase metade da população da Coreia do Sul - aumentaram as restrições e proibiram as reuniões religiosas após o surgimento de novos casos, aumentando o temor de uma segunda vaga da epidemia.

A Igreja de Jesus Shincheonji, ligada a cerca de 5.000 casos de covid-19, esteve no centro do surto de fevereiro da epidemia de coronavírus no país.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 766 mil mortos e infetou mais de 21,5 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela AFP.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório