Meteorologia

  • 28 SETEMBRO 2020
Tempo
25º
MIN 15º MÁX 27º

Edição

Covid-19: Brasil reporta mais 60.091 casos e 1.262 mortes em 24h

País contabiliza mais de 105 mil vítimas mortais devido à pandemia do novo coronavírus.

Covid-19: Brasil reporta mais 60.091 casos e 1.262 mortes em 24h

Desde o início da pandemia de Covid-19 no Brasil, 105.463 pessoas perderam a vida. Desse total, 1.262 óbitos foram reportados nas últimas 24 horas.

Do número diário de mortes, 344 aconteceram nos últimos três dias, mas foram incluídos nos dados de hoje.

Em termos de contágios, o Brasil detém o segundo lugar de países com mais casos confirmados no mundo, com um total acumulado de 3.224.876.  Desse total, 60.091 casos foram reportados no último dia. 

Os dados divulgados, esta quinta-feira, pelo Ministério da Saúde indicam que 2.356.640 pessoas recuperaram da doença. 

A taxa de letalidade do novo coronavírus no Brasil fixa-se em 3,3%. 

Aquele que é o segundo país mais afetado pela pandemia no mundo e com uma população estimada de 210 milhões de pessoas, tem agora uma incidência de 50,2 óbitos e 1534,6 casos da doença por cada 100 mil habitantes.

O foco da pandemia no Brasil continua a ser o estado de São Paulo, que concentra oficialmente 674.455 pessoas diagnosticadas com a covid-19 e 26.324 vítimas mortais.

Na lista de unidades federativas mais afetadas seguem-se a Bahia, com 206.955 casos confirmados e 4.202 mortes, o Ceará, que tem hoje 194.081 infetados e 8.088 óbitos, e o Rio de Janeiro, que totaliza 188.085 pacientes infetados e 14.412 vítimas mortais.

O ministro interino da Saúde do Brasil, Eduardo Pazuello, afirmou hoje que os dados sobre a vacina russa contra o novo coronavírus ainda são "incipientes" e que a melhor opção continua a ser a vacina de Oxford.

No mês passado, o Brasil assinou com o laboratório AstraZeneca um documento que dará base ao acordo de parceria na elaboração da vacina de Oxford, batizada de ChAdOx1 e em teste no país sul-americano.

Já a vacina russa foi anunciada na terça-feira pelo Presidente, Vladimir Putin, tendo o Governo do estado brasileiro do Paraná assinado um memorando de entendimento para ampliar a cooperação técnica, transferências de tecnologia e estudos em relação àquele imunizante.

De acordo com Putin, a vacina russa, denominada 'Sputnik V', é "eficaz" e superou todas as provas necessárias, assim como permite uma "imunidade estável" face à covid-19, apesar de a Organização Mundial de Saúde se mostrar ainda reticente em relação à sua eficácia.

pandemia de covid-19 já provocou mais de 749 mil mortos e infetou mais de 20,6 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório