Meteorologia

  • 08 AGOSTO 2020
Tempo
19º
MIN 18º MÁX 31º

Edição

Ministra da Defesa alemã: É "lamentável" retirada de militares dos EUA

A ministra da Defesa alemã classificou hoje como "lamentável" o anunciado reposicionamento de milhares de militares norte-americanos atualmente destacados na Alemanha, evocando, ao mesmo tempo, a necessidade de a Europa canalizar mais esforços para a área securitária.

Ministra da Defesa alemã: É "lamentável" retirada de militares dos EUA

Na quarta-feira, o Pentágono (Departamento de Defesa dos Estados Unidos) anunciou um plano para o reposicionamento de cerca de 12.000 militares norte-americanos atualmente destacados no território alemão: cerca de 6.400 elementos irão regressar a bases domésticas e cerca de 5.600 serão reposicionados em outros países europeus (Polónia, Bélgica e Itália).

Ainda na quarta-feira, o secretário de Defesa norte-americano, Mark Esper, declarou que esta decisão cumpre o desejo anunciado pelo Presidente dos Estados Unidos de retirar uma parte do contingente militar norte-americano da Alemanha, país (e Estado aliado na NATO) que Donald Trump acusa de não gastar o suficiente em defesa.

O plano, cujo futuro é ainda incerto uma vez que precisa do apoio e do financiamento do Congresso norte-americano, prevê que ainda fiquem cerca de 24.000 militares dos Estados Unidos da América (EUA) em solo alemão.

Num comunicado hoje divulgado, a ministra da Defesa alemã, Annegret Kramp-Karrenbauer, afirmou que tenciona convidar, perante "os planos lamentáveis da retirada de tropas dos EUA", os governadores dos estados federados alemães afetados para discutir as repercussões da decisão norte-americana.

O futuro encontro com os governadores, que será agendado para depois das férias de verão, pretende avaliar como os militares alemães podem apoiar as regiões, segundo explicou a ministra.

Na mesma nota, Annegret Kramp-Karrenbauer enfatizou a necessidade de uma maior integração europeia ao nível das políticas de segurança e defesa, afirmando esperar que a atual presidência semestral alemã do Conselho da União Europeia (UE) consiga alcançar progressos nesta matéria.

"Mantemos em vista a salvaguarda dos interesses alemães e europeus", declarou a ministra alemã.

"A verdade é que a qualidade de vida na Alemanha e na Europa depende cada vez mais da forma como nós próprios garantimos a nossa segurança", concluiu.

Até agora, a reação do Governo alemão aos planos dos EUA tem sido classificada como contida.

Uma das exceções foi Rolf Muetzenich, uma das figuras de destaque do Partido Social-Democrata (SPD), parceiro da coligação governamental alemã, que sugeriu esta semana que "as cooperações em matéria de armamento terão de ser avaliadas sob uma nova perspetiva".

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório