Meteorologia

  • 08 AGOSTO 2020
Tempo
24º
MIN 19º MÁX 31º

Edição

Venezuela. Detido diretor de portal informativo acusado de promover ódio

A polícia venezuelana deteve o politólogo dissidente do chavismo e diretor do portal informativo Ponte de Corte, Nicmer Evans, sob a acusação de promover o ódio contra um membro da Assembleia Constituinte (composta unicamente por simpatizantes do regime).

Venezuela. Detido diretor de portal informativo acusado de promover ódio
Notícias ao Minuto

23:32 - 14/07/20 por Lusa

Mundo Caracas

Segundo o portal, a detenção ocorreu na noite de segunda-feira e ficou registada num vídeo em que Nicmer Evans mostrava um mandado de detenção judicial por delito relacionado com "promoção e incitação ao ódio".

No vídeo, gravado pouco antes da sua detenção e com a polícia à porta, o diretor do portal explica que "o direito consagrado da liberdade de expressão, a crítica à ação política e a defesa da resistência perante uma tirania não pode ser considerado instigação ao ódio".

"A Venezuela vive uma circunstância de uma neo-ditadura" em que se acusam as pessoas "sem nenhum tipo de razão nem justiça" de crimes, afirma.

Nicmer Evans diz ainda apoiar o líder opositor Juan Guaidó e assume que foi "chavista, mas nunca para isto".

"Era para que houvesse mais liberdade. Houve um engano, uma fraude e convoco as pessoas a que nos unamos para restabelecer a democracia", apela.

O diretor insta as pessoas que trabalham no portal informativo Ponto de Corte, no Movimento Democracia e Inclusão e na Plataforma Nacional de Conflito para que continuem a lutar "pela liberdade de expressão, pela democracia e pela liberdade".

Segundo a imprensa local, a detenção foi precedida por uma rusga -- que durou quatro horas - na sua residência e ocorreu depois de Nicmer Evans escrever uma mensagem nas redes sociais desejando "longa vida, para que a justiça do homem chegue antes que a civina", a um elemento da Assembleia Constituinte que anunciou, no seu programa na televisão estatal, que tinha testado positivo para a covid-19.

O líder opositor Juan Guaidó atribuiu a detenção a uma "atuação própria de covardes".

"(Nicmer Evans) é perseguido por opinar, por discordar", escreveu Guaidó no Twitter, acrescentando: "A necessidade de mudança na Venezuela é imparável".

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório