Meteorologia

  • 01 MARçO 2021
Tempo
10º
MIN 9º MÁX 19º

Edição

Primeiro-ministro canadiano ausente na celebração de acordo comercial

O primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, recusou um convite da Casa Branca para viajar até Washington para celebrar o novo acordo de comércio da América do Norte.

Primeiro-ministro canadiano ausente na celebração de acordo comercial

O Presidente dos EUA, Donald Trump, e o Presidente do México, Andres Lopez Obrador, reúnem-se quarta-feira em Washington, mas o gabinete do primeiro-ministro canadiano disse hoje que Trudeau não estará presente na cerimónia que assinala o T-MEC, o novo acordo de livre comércio entre os três países.

Num comunicado, o gabinete alega que Trudeau tem "reuniões ministeriais previamente estabelecidas", assim como sessões parlamentares.

Um alto funcionário do Governo dos EUA disse que Trudeau está a ter problemas internos, relacionados com a legislação de desconfinamento, que obrigam os canadianos que viajam para o estrangeiro a permanecer de quarentena por 14 dias.

Nos últimos meses, a relação entre Trudeau e Trump também arrefeceu, com vários episódios de trocas de acusações entre os dois políticos, à medida que se aproximava a conclusão das negociações para a assinatura do T-MEC.

"Desejamos sucesso aos Estados Unidos e ao México, na reunião de quarta-feira", disse o Governo canadiano, no comunicado hoje divulgado, acrescentando que "a entrada em vigor do T-MEC é positiva para o Canadá, México e Estados Unidos".

Apesar da entrada em vigor deste novo tratado, o Governo do Canadá tem manifestado receio de que os Estados Unidos possam voltar a impor tarifas sobre as importações de alumínio canadiano, já nas próximas semanas, uma das "pontas soltas" deste acordo.

Da última vez em que os EUA impuseram tarifas sobre o alumínio canadiano, em maio de 2018, o Governo de Trudeau retaliou com taxas de milhões de dólares sobre produtos norte-americanos, dizendo que o comportamento da Casa Branca era "insultuoso".

Em resposta, Trump acusou o primeiro-ministro canadiano de ser "fraco" e "submisso", ameaçando interromper as negociações para o novo tratado.

Só quando os EUA retiraram as tarifas, um ano depois, Trudeau declarou que o Canadá estaria disposto a ratificar o T-MEC, o que aconteceu em março deste ano.

Depois de conhecida a recusa de Trudeau de participar na cerimónia em Washington, Lopez Obrador disse que falaria telefonicamente com Trudeau sobre o novo tratado, concordando com o Governo canadiano em que o T-MEC poderá ser um excelente instrumento para a recuperação económica da região, em plena pandemia de covid-19.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório