Meteorologia

  • 07 JULHO 2020
Tempo
20º
MIN 19º MÁX 35º

Edição

Macron defende ação conjunta dos países para combater a pandemia

O Presidente francês, Emmanuel Macron, defendeu perante o seu homólogo chinês, Xi Jinping, "uma forte resposta internacional" à pandemia do novo coronavírus através de "um quadro multilateral baseado em regras definidas em comum".

Macron defende ação conjunta dos países para combater a pandemia
Notícias ao Minuto

07:05 - 06/06/20 por Lusa

Mundo Covid-19

Numa conversa telefónica entre os dois presidentes, Macron apresentou a Xi as suas três prioridades para esta ação internacional, que considera necessária numa altura em que se verifica um aumento das tensões no mundo, explicou o Palácio do Eliseu, residência oficial do chefe de Estado francês, num comunicado.

Na área da saúde, Macron preconizou que a prioridade é combater a epidemia com uma perspetiva "cooperativa, transparente e baseada na objetividade científica".

O Presidente francês afirma o papel "central e inevitável" da Organização Mundial de Saúde (OMS) e coloca em evidência as suas divergências em relação ao Presidente norte-americano, Donald Trump, que, na semana passada anunciou que os EUA vão sair dessa organização por considerar ter gerido mal a crise da covid-19, ao dar demasiado crédito às informações fornecidas por Pequim.

Macron fixou também como objetivo a rápida concretização da moratória sobre a dívida dos países africanos relativamente aos quais se chegou a um acordo de princípio no G20 (grupo das 20 nações mais industrializadas), com a intenção de estabelecer, face à crise, "as próximas etapas indispensáveis da solidariedade" com o continente africano.

Emmanuel Macron associou ainda as questões de saúde à proteção do ambiente e mostrou a sua vontade de trabalhar com Pequim para criar "uma agenda concreta que responda aos desafios" para a COP15, a conferência sobre biodiversidade prevista realizar-se na China, e para a COP26, a conferência sobre o clima agendada para a Escócia, em 2021.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 392 mil mortos e infetou mais quase 6,7 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Mais de 2,8 milhões de doentes foram considerados curados.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório