Meteorologia

  • 10 JULHO 2020
Tempo
19º
MIN 18º MÁX 31º

Edição

Sessenta aldeões foram mortos em ataques de grupos armados na Nigéria

Sessenta aldeões foram mortos em ataques coordenados de grupos armados, vulgarmente conhecidos como "bandidos", a várias aldeias do estado de Sokoto, no noroeste da Nigéria, disseram fontes médicas e locais.

Sessenta aldeões foram mortos em ataques de grupos armados na Nigéria
Notícias ao Minuto

15:46 - 28/05/20 por Lusa

Mundo Nigéria

"Foram levados 60 cadáveres para o hospital desde ontem [terça-feira] à noite", disse na quarta-feira uma enfermeira do Hospital Sabon Birni General, citada pela agência France-Presse, referindo que também tinha recebido "muitos feridos com balas".

"Todos os mortos foram baleados e a maioria deles levou um tiro na cabeça, deixando-os com poucas hipóteses de sobrevivência", relatou outra médica daquele hospital, também sob condição de anonimato.

Dezenas de pistoleiros chegaram de moto a várias aldeias do distrito de Sabon Birni por volta das 20:00 (19:00 TMG) e abriram fogo sobre as casas, onde vivem pequenos agricultores e criadores de gado, disse à agência noticiosa um chefe tradicional local.

"Os 'bandidos' mataram 16 pessoas em Garki, 13 em Dan Aduwa, 22 em Kuzari, sete em Katuma e duas em Masawa. Isso faz 60 pessoas", acrescentou, sob anonimato, por medo de represálias, por parte das autoridades.

Nenhum organismo oficial comentou o ataque, mas fontes de segurança contactadas pela agência francesa garantiram que a polícia local iria realizar uma conferência de imprensa.

Sabon Birni, a 175 quilómetros da capital do estado de Sokoto, foi, recentemente, alvo de numerosos ataques, e ainda na segunda-feira 18 pessoas foram mortas em incursões coordenadas em cinco outras aldeias do distrito, de acordo com fontes locais.

Há muitos anos que o noroeste da Nigéria é palco de atuação de grupos criminosos, que aterrorizam a população e cometem ataques contra civis para roubar gado ou terras e praticam raptos de pessoas em troca de resgates.

A violência matou cerca de 8.000 pessoas desde 2011 e deixou cerca de 200.000 civis deslocados, segundo estimativas dos investigadores do International Crisis Group (ICG).

Embora até agora estes grupos não tenham atuado sob qualquer influência ideológica, o ICG manifestou recentemente a sua preocupação pelo facto de o noroeste da Nigéria estar a tornar-se uma "ponte" entre os vários movimentos 'jihadistas' na região do Sahel e do Lago Chade.

O exército nigeriano está a realizar ataques aéreos na região noroeste desde a semana passada e já anunciou que matou centenas de combatentes.

Em alguns estados, as autoridades tentaram realizar conversações de paz entre civis organizados em milícias de autodefesa e 'bandidos', mas até agora nenhuma estratégia conseguiu travar a espiral de violência.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório