Meteorologia

  • 05 JUNHO 2020
Tempo
25º
MIN 17º MÁX 25º

Edição

Rússia acusa EUA de semear a discórdia entre os seus próprios aliados

A Rússia acusou hoje Washington de semear a discórdia com os aliados, depois de os EUA terem anunciado uma possível saída do Tratado de Céus Abertos, acusando Moscovo de não cumprir os termos do acordo.

Rússia acusa EUA de semear a discórdia entre os seus próprios aliados
Notícias ao Minuto

19:35 - 22/05/20 por Lusa

Mundo Rússia

Na quinta-feira, o Presidente norte-americano, Donald Trump, anunciou que Washington se iria retirar do Tratado de Céus Abertos, que permite a mais de 30 países promover voos de observação desarmados sobre os territórios uns dos outros e que foi estabelecido há quase 30 anos, para promover a confiança mútua.

Os Estados Unidos alegam que Moscovo não cumpriu os termos do acordo internacional e o Kremlin disse mesmo que a saída norte-americana era um "golpe na segurança europeia".

Hoje, a Rússia disse que um outro efeito da decisão dos EUA é o de dividir os seus aliados, aproveitando as manifestações de desconforto entretanto revelados pelos países membros da NATO.

"Os Estados Unidos estão a semear a discórdia e a incerteza entre os seus próprios aliados (...). Ignoram a opinião dos outros países que fazem parte deste tratado", disse o vice-ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Sergei Riabkov.

"As condições que os Estados Unidos nos impuseram são absolutamente inaceitáveis, categoricamente inaceitáveis, elas não têm qualquer sentido", acrescentou Riabkov, durante uma videoconferência.

"Estamos prontos para continuar o diálogo e procurar um acordo, mas não concordamos em executar o que foi definido por Washington", disse o número dois da diplomacia russa.

Os embaixadores dos países membros da NATO reuniram-se hoje, de urgência, para tentar salvar o tratado e pedir a Washington que reconsidere sua posição.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros russo acusou hoje os Estados Unidos de "camuflarem as suas ações destrutivas" e de "fugirem da discussão".

Horas antes, um outro representante da diplomacia russa, Alexander Grushko, anunciou que a Rússia continuará a respeitar os termos do tratado, mesmo depois de uma retirada americana.

As autoridades russas também disseram estar prontas para discutir "as questões técnicas que os Estados Unidos apresentam hoje como supostas violações da Rússia", mostrando-se disponíveis para negociações que possam levar a um recuo dos Estados Unido, que foi admitido como possível pelo Presidente Donald Trump.

Em 2019, os Estados Unidos já tinham acusado a Rússia de violar o tratado de mísseis terrestres de alcance intermédio (IMF, na sigla em inglês), tendo abandonado esse acordo, no que foram imitados por Moscovo, meses depois.

Estados Unidos e Rússia discutem ainda um outro tratado de armas nucleares, o New Start, que expira em 2021 e que Donald Trump quer abandonar e substituir por um novo acordo que inclua a China, apesar das resistências de Pequim.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório