Meteorologia

  • 28 NOVEMBRO 2022
Tempo
17º
MIN 9º MÁX 17º

Covid-19: México regista número de mortos mais baixo desde final de abril

O México registou no sábado mais 112 mortos devido à covid-19 que na véspera, o número mais baixo desde final de abril, elevando o total de óbitos para 3.465, anunciaram as autoridades no domingo.

Covid-19: México regista número de mortos mais baixo desde final de abril
Notícias ao Minuto

06:32 - 11/05/20 por Lusa

Mundo Covid-19

O número de infetados com o novo coronavírus é agora de 35.022, com mais 1.562 casos de contágio nas últimas 24 horas.

O aumento do número de mortos (3,3%) e de doentes confirmados (4,7%) é um dos mais baixos desde final de abril, altura em que o Governo mexicano anunciou ter atingido o pico da evolução da doença.

Ainda assim, o subsecretário da Prevenção e Promoção da Saúde mexicano, Hugo López-Gatell, recomendou prudência na análise dos números.

"Não quer dizer necessariamente que haja um padrão de redução da velocidade de contágio, mas vale a pena destacar que está a ocorrer. Vamos ver como se comporta nos próximos dias", afirmou, em declarações citadas pela agência de notícias Efe.

A Cidade do México é a zona mais afetada do país, com quase dez mil infetados e 800 mortos, seguida do vizinho estado do México, com seis mil infetados e 300 falecidos, e do estado da Baixa Califórnia, que faz fronteira com os Estados Unidos, onde estão infetadas 1.600 pessoas e houve 400 vítimas mortais.

O maior número de mortos no México devido à covid-19 registou-se a 07 de maio (257), dia em que também se registou o maior número de infetados no país, 1.982.

Com 129.000 testes realizados, o México é o país que menos testes realiza, segundo a Efe, pelo que o próprio Governo estima que o número de infetados possa ser até nove vezes superior aos dados oficiais, tal como o número de mortos provocados pela doença.

Em resposta às queixas do pessoal de saúde por causa da falta de material de proteção, López-Gatell recordou que "continuam a chegar" equipamentos através da ponte aérea entre China e México e adiantou que o país deverá receber mais 11 milhões de máscaras.

O Presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador, deverá apresentar esta semana um plano de reabertura económica e social, após o confinamento por causa da pandemia de covid-19, que não deverá começar antes de junho.

O Governo mexicano proibiu as atividades económicas não essenciais durante abril e maio, embora sem sanções para as empresas infratoras, e instou a população a ficar em casa, sem no entanto impor quarentena, para não afetar os milhões de pessoas que sobrevivem graças ao comércio informal.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias France-Presse (AFP), a pandemia de covid-19 já provocou mais de 280 mil mortos e infetou mais de quatro milhões de pessoas em 195 países e territórios.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Para combater a pandemia, os governos mandaram para casa 4,5 mil milhões de pessoas (mais de metade da população do planeta), encerraram o comércio não essencial e reduziram drasticamente o tráfego aéreo, paralisando setores inteiros da economia mundial.

Face a uma diminuição de novos doentes em cuidados intensivos e de contágios, vários países começaram a desenvolver planos de redução do confinamento e em alguns casos a aliviar diversas medidas.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório