Meteorologia

  • 10 JULHO 2020
Tempo
19º
MIN 18º MÁX 31º

Edição

Covid-19: Oposição na Rússia realiza ação de protesto online

A oposição russa organizou hoje uma ação de protesto 'online', entre problemas técnicos, para reclamar mais apoios do Governo para o combate ao novo coronavírus.

Covid-19: Oposição na Rússia realiza ação de protesto online
Notícias ao Minuto

19:44 - 28/04/20 por Lusa

Mundo Rússia

Difundida através do canal YouTube, a ação - que teve um máximo de cinco mil espetadores em simultâneo - incluiu intervenções de opositores, especialistas e agentes da sociedade civil, todos a partir de suas casas. O rapper russo Noize MC interpretou várias músicas.

A ação digital foi organizada pelo movimento 'Net!' (Não!), que se opõe à reforma constitucional apresentada pelo Presidente Vladimir Putin, que lhe permite efetuar mais dois mandatos.

Putin "transformou-se num ditador envelhecido que se agarra desesperadamente ao poder", atirou o jornalista e deputado municipal (da oposição) Ilia Azar, um dos organizadores do protesto.

Esta iniciativa digital resultou da busca por um outro formato, para além de "declarações, cartas abertas e petições", que pudesse ser usado em contexto de confinamento social para conter a propagação da covid-19, disse Ilia Azar à agência de notícias AFP.

Porém, a tentativa ficou marcada por problemas técnicos e pela fraca qualidade de difusão.

Os participantes no protesto reivindicaram mais recursos e meios para o setor da saúde, nomeadamente na capital, Moscovo, onde se encontra o principal foco de pandemia de covid-19, que já contaminou 93.558 pessoas e causou 867 mortos.

Putin disse hoje que o pico da epidemia ainda não foi atingido, mas apontou um levantamento progressivo do confinamento a partir do dia 12 de maio.

Segundo um balanço da AFP, a pandemia de covid-19 já provocou, globalmente, cerca de 212 mil mortos e infetou mais de três milhões de pessoas em 193 países e territórios.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, cidade da China.

Para combater a pandemia, os governos mandaram para casa 4,5 mil milhões de pessoas (mais de metade da população do planeta), encerraram o comércio não essencial e reduziram drasticamente o tráfego aéreo, paralisando setores inteiros da economia mundial.

Face a uma diminuição de novos doentes em cuidados intensivos e de contágios, alguns países começaram, entretanto, a desenvolver planos de redução do confinamento e em alguns casos, como Dinamarca, Áustria, Espanha ou Alemanha, a aliviar algumas das medidas.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório