Meteorologia

  • 02 JUNHO 2020
Tempo
23º
MIN 18º MÁX 26º

Edição

Modi pede desculpa aos indianos por confinamento "duro, mas necessário"

O primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, pediu hoje desculpa aos seus compatriotas por lhes ter imposto três semanas de confinamento obrigatório, reconhecendo que é "uma medida dura, mas necessária" para deter a propagação do novo coronavírus.

Modi pede desculpa aos indianos por confinamento "duro, mas necessário"
Notícias ao Minuto

13:23 - 29/03/20 por Lusa

Mundo Covid-19

"Peço desculpa por ter tomado estas medidas duras, que estão a dificultar tanto as vossas vidas, especialmente a vida dos mais pobres. Sei que muitos estão zangados comigo, mas estas medidas são necessárias para vencer a batalha", disse o chefe do governo indiano, durante a tradicional alocução ao país, transmitida mensalmente pela rádio pública.

O governo de Narendra Modi impôs na quarta-feira um "lockdown" (encerramento) sem precedentes neste país de 1,3 mil milhões de habitantes, onde, até hoje, existia registo oficial de 867 infetados pela covid-19, com 25 vítimas mortais.

A face mais visível do "lockdown" é o confinamento obrigatório da população durante três semanas, que só pode ser quebrado para idas à farmácia, unidades de saúde ou aquisição de alimentos e outros bens essenciais.

Peritos de saúde pública têm avançado que a propagação do coronavírus será inevitável, até porque centenas de milhões de indianos moram em bairros densamente povoados nos arredores das grandes cidades, em condições difíceis, sem acesso a água limpa, saneamento ou serviços de saúde.

O "lockdown" deixou sem trabalho milhões de indianos que trabalham à jorna, por um salário diário.

Muitos deles têm abandonado as cidades grandes, procurando refúgio nas suas aldeias de origem o que contribui para a propagação do coronavírus num território de dimensões subcontinentais e em que um quarto da população vive abaixo do limiar da pobreza.

Estes trabalhadores à jorna representam 85% da força laboral do país, ocupando-se dos trabalhos mais humildes, como condutores de riquexó ou táxis, empregadas domésticas, pedreiros e outros trabalhos indiferenciados. Vivem do que ganham diariamente e não têm poupanças.

"Milhares de trabalhadores migrantes foram forçados a deixar as suas residências alugadas por não conseguirem pagar a renda. É importante que o governo intervenha e providencie dinheiro para pagar a renda, imediatamente", exortou hoje Rahul Gandhi, líder do histórico Partido do Congresso, numa carta enviada ao primeiro-ministro.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 640 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 30.000.

Dos casos de infeção, pelo menos 130.600 são considerados curados.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório