Meteorologia

  • 31 MARçO 2020
Tempo
13º
MIN 8º MÁX 13º

Edição

Espanha diz que testes rápidos produzidos na China não são eficazes

Espanha terá recebido um milhão de testes que tinham como objetivo ser utilizados de forma maciça em profissionais de saúde, infetados e grupos ou locais de risco, como são as residências de terceira idade.

Espanha diz que testes rápidos produzidos na China não são eficazes

Os tão aguardados testes rápidos para despistar os casos de Covid-19, com os quais o governo espanhol queria começar a testar as camadas mais amplas da população para descobrir qual é a dimensão real do contágio em Espanha, não funcionam bem.

A notícia é avançada pelo El Pais, que refere que esta é a conclusão de vários laboratórios de microbiologia de grandes hospitais espanhóis, nas análises feitas aos kits recém-chegados da China.

"Eles não detectam os casos positivos conforme o esperado", diz uma fonte que prefere manter o anonimato, referindo que esta conclusão é "desencorajadora" na luta contra a propagação do vírus.

Estes testes rápidos, que são fabricados pela empresa Bioeasy, terão uma eficácia de apenas 30%, quando o aconselhado seria de 80%. Segundo os mesmos especialistas, "com este grau de eficácia não faz sentido usar estes testes".

Explica a publicação espanhola que com um nível de eficácia tão baixo, o que acontece é que quando um teste dá negativo, nunca se pode confiar de facto se aquela pessoa está ou não infetada. Fica sempre a dúvida.

Estes aconselham, por isso, que se continue a utilizar os testes de detecção de coronavírus atualmente utilizados pelos laboratórios e que são baseados numa técnica molecular chamada PCR (reação em cadeia da polimerase), a qual deteta a presença do vírus através de uma amostra recolhida  pelo nariz ou pela boca.

"Este lote enviado não corresponde ao que veio nos certificados de qualidade da CE. Tivemos de os devolver", confirmou, entretanto, numa conferência de imprensa o diretor do Centro de Coordenação de Alertas e Emergência Sanitária do Ministério da Saúde espanhol, Fernando Simón.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório