Meteorologia

  • 23 SETEMBRO 2020
Tempo
20º
MIN 19º MÁX 24º

Edição

Ministro da Defesa do Sudão morre de ataque cardíaco

O ministro da Defesa do Sudão, general Omar Gamal al-Din, morreu hoje de ataque cardíaco na capital do Sudão do Sul, onde se encontrava a participar em negociações de paz, anunciaram o Governo e as Forças Armadas do país.

Ministro da Defesa do Sudão morre de ataque cardíaco
Notícias ao Minuto

11:30 - 25/03/20 por Lusa

Mundo Sudão

"Omar Gamal al-Din, com 60 anos de idade, encontrava-se na capital do Sudão do Sul, Juba, onde participava em conversações, no âmbito do processo de paz, entre o Governo de transição no seu país e os rebeldes", explicou um oficial.

A mesma fonte adiantou que o responsável governamental participou em reuniões que se estenderam até tarde na terça-feira e faleceu hoje de manhã.

Nascido em janeiro de 1960, Omar era membro do Conselho Soberano do Sudão, que está no poder no país desde o ano passado, depois de um acordo assinado que vigorará por 39 meses (período de transição), de partilha entre os militares e o movimento pró-democracia que liderou a revolta contra o ex-Presidente Omar al-Bashir.

Numa declaração divulgada hoje, o general Abdel-Fattah Burhan, que dirige o Conselho Soberano, disse que lamentava a morte de Omar, que "morreu enquanto lutava pela estabilidade do Sudão", numa alusão às conversas com os rebeldes que têm por objetivo por fim às longas guerras civis no país.

O primeiro-ministro sudanês, Abdalla Hamdok, lamentou a morte de Omar, considerando-o como um dos "filhos leais" do Sudão, que desempenhou "um papel eficaz" nas conversações com os rebeldes.

A agência de notícias estatal SUNA disse que foi rezada uma oração fúnebre em Juba, antes de o seu corpo ser transportado para a capital sudanesa, Kartum, onde se irá realizar o enterro.

Mohammed Hassan al-Taishi, porta-voz da delegação do Governo sudanês para as conversações com os rebeldes, disse que as negociações serão suspensas por uma semana por causa da morte de Omar, a contar de hoje.

O Governo de transição do Sudão tem estado envolvido em conversações de paz com grupos rebeldes desde outubro.

Juba, a capital do Sudão do Sul, está a ser o palco daquelas negociações que visam estabilizar o país e ajudar no seu frágil caminho para a democracia, para que consiga sobreviver após a queda de al-Bashir, que se manteve no poder durante quase três décadas.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório