Meteorologia

  • 06 ABRIL 2020
Tempo
17º
MIN 13º MÁX 18º

Edição

Assembleias de voto encerram à meia noite no Irão

As assembleias de voto nas eleições legislativas do Irão, para eleger 290 deputados e sete membros da Assembleia de Peritos, encerraram oficialmente às 24:00 locais (20:30 em Lisboa), de acordo com as agências noticiosas iranianas Fars e Tasnim.

Assembleias de voto encerram à meia noite no Irão
Notícias ao Minuto

21:30 - 21/02/20 por Lusa

Mundo Irão

O encerramento das urnas estava inicialmente previsto para as 18:00 locais (14:30 em Lisboa), mas o horário foi estendido pelo menos cinco vezes para permitir a participação do maior número possível de eleitores, segundo a agência France-Presse.

O número de eleitores que participaram neste sufrágio apenas deverá ser anunciado no sábado, enquanto os resultados finais deverão ser conhecidos até domingo.

A autoridades iranianas anunciaram que várias escolas vão estar encerradas, no sábado, nas principais cidades do país para permitir a contagem dos votos.

Mais de 57 milhões de eleitores estão inscritos para escolherem 290 deputados, cinco dos quais representam as minorias confessionais -- zoroastras (um), judeus (um), cristãos sírios e caldeus (um) e cristãos arménios (dois) -, de entre os mais de sete mil candidatos que vão a votos.

Os eleitores votam também para preencher sete lugares da Assembleia de Peritos em cinco províncias do país: Teerão, Qom, Khorasan Norte, Khorasan Razavi e Fars.

As urnas abriram às 08:00 locais (04:30 em Lisboa) e estava previsto encerrarem 10 horas depois, embora oportunamente tenha sido anunciado que a votação poderia vir a ser prolongada caso fosse necessário.

Hoje de manhã, logo após a abertura das urnas, o Guia Supremo do Irão, ayatollah Ali Khamenei, salientou que votar era um "dever religioso", referiu a agência oficial IRNA.

Segundo números avançados pelo Ministério do Interior, citados pelas agências internacionais, referem que a taxa de participação era de apenas 19% às 15:00 locais (11:30 em Lisboa).

Uma elevada abstenção, previsível segundo observadores, representa uma derrota para o bloco conservador e ultraconservador e, por essa razão, nos últimos dias multiplicaram-se os apelos à participação dos eleitores.

Os conservadores têm como principal figura Mohammad Baqer Qalibaf, antigo presidente da câmara de Teerão (2005-2017), ex-comandante da polícia (2000-2005), por três vezes candidato derrotado em eleições presidenciais e que se apresenta como "tecnocrata".

Um lugar como deputado, dado como adquirido, pode resultar na sua eleição para a presidência do Majlis, pois o atual detentor do cargo, Ali Larijani, não se recandidata ao parlamento.

Do lado dos ultraconservadores, a principal figura é Morteza Aghatehrani, que já foi eleito deputado em duas ocasiões.

Com a desqualificação de muitos nomes importantes do lado dos reformadores, Majid Ansari, próximo do antigo Presidente Mohammad Khatami, surge como a figura de proa do movimento para o escrutínio.

Nas anteriores legislativas, realizadas em 2016, a taxa afluência declarada oficialmente foi de 62%.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório