Meteorologia

  • 08 ABRIL 2020
Tempo
19º
MIN 13º MÁX 21º

Edição

RCA: Oposição formaliza coligação de olhos postos nas eleições gerais

A Coligação da Oposição Democrática 20-20 (COD 20-20), uma aliança de vários partidos da oposição da República Centro-Africana criada em novembro, foi oficializada esta semana, antecipando as eleições gerais do final do ano.

RCA: Oposição formaliza coligação de olhos postos nas eleições gerais
Notícias ao Minuto

20:02 - 11/02/20 por Lusa

Mundo RCA

Segundo noticiou hoje a comunicação social internacional, a COD 20-20 foi formalizada na segunda-feira, com a assinatura de uma lista por 14 partidos políticos da oposição que esperam que esta cresça nos próximos meses.

Além dos tradicionais partidos da oposição, como o partido do antigo Presidente François Bozizé, o Kwa Na Kwa (KNK), ou os partidos dos antigos primeiros-ministros Anicet-Georges Dologuélé, a União para a Renovação da Centro-Africana (URCA), e Nicolas Tiangayedo, a Convenção Republicana para o Progresso Social (CRPS), a coligação abrange partidos opositores mais recentes.

A coligação pretende "defender e monitorizar questões de paz, segurança e liberdades civis" na RCA, noticiou a Radio France Internationale (RFI).

A presidência da aliança política será rotativa, sendo que Anicet-Georges Dologuélé assume a primeira liderança da coligação, que tem como foco as eleições gerais no final deste ano.

"A nossa vocação é conquistar o poder. A oposição define-se no parlamento e na vida quotidiana. Os políticos da oposição estão a reagrupar-se para tomar medidas de oposições democráticas contra o poder", referiu o presidente da coligação, citado pela publicação francófona.

Anicet-Georges Dologuélé acrescentou que cada um dos membros "toma posições de forma isolada", o que resulta num enfraquecimento das suas posições.

"Ao juntarmo-nos, formamos um bloco poderoso, uma vez que unimos as nossas energias (...) e as nossas vozes", vincou o líder da oposição.

Entre os signatários da missiva encontra-se o antigo primeiro-ministro Mahamat Kamoun, líder do recém-criado partido Be Afrika ti é Kwè.

Segundo a RFI, a coligação está a avaliar a possibilidade de uma única candidatura para as eleições presidenciais.

A RCA caiu no caos e na violência em 2013, depois do derrube do ex-Presidente François Bozizé por grupos armados juntos na Séléka, o que suscitou a oposição de outras milícias, agrupadas sob a designação anti-Balaka.

O Governo centro-africano controla um quinto do território, sendo o resto dividido por mais de 15 milícias que procuram obter dinheiro através de raptos, extorsão, bloqueio de vias de comunicação, recursos minerais (diamantes e ouro, entre outros), roubo de gado e abate de elefantes para venda de marfim.

Um acordo de paz foi assinado em Cartum, capital do Sudão, no início de fevereiro pelo Governo e por 14 grupos armados, e um mês mais tarde as partes entenderam-se sobre um governo inclusivo, no âmbito do processo de paz.

Portugal está presente na RCA desde o início de 2017, no quadro da Minusca, com a 6.ª Força Nacional Destacada (FND) e militares na Missão Europeia de Treino Militar-República Centro-Africana, cujo 2.º comandante é o coronel António Grilo.

A 6.ª FND, que tem a função de Força de Reação Rápida, integra 180 militares, na sua maioria paraquedistas, pertencendo 177 ao Exército e três à Força Aérea.

Na RCA estão também 14 elementos da Polícia de Segurança Pública.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório