Meteorologia

  • 28 MAIO 2020
Tempo
30º
MIN 20º MÁX 33º

Edição

Turcos do OYAK interessados na extração de rocha vulcânica em Cabo Verde

O Governo cabo-verdiano anunciou hoje o interesse do fundo turco OYAK, que comprou a cimenteira Cimpor em Portugal, em investir em Cabo Verde, na extração de pozolana, rochas de origem vulcânica utilizadas na indústria cimenteira.

Turcos do OYAK interessados na extração de rocha vulcânica em Cabo Verde

Numa nota publicada pelo gabinete do primeiro-ministro é referido que o chefe do Governo, Ulisses Correia e Silva, recebeu hoje, na cidade da Praia, o presidente da holding turca OYAK, Suat Çalbiyik.

"Abordamos o interesse na exploração da pozolana de Santo Antão e outras áreas de negócios", refere a mesma nota, recordando que a OYAK é proprietária da Cimpor, em Portugal e em Cabo Verde.

A extração de pozolana no Porto Novo remonta ao período colonial, mas está paralisada há mais de seis anos.

Em 2005 foi ali instalada a empresa Cabocem, de investidores italianos, para produzir cimento pozolânico, mas que acabaria por encerrar em junho de 2013.

As autoridades locais estimam que existem naquela aérea jazidas à volta de dez milhões de toneladas de pozolana. A Câmara de Porto Novo anunciou no final de 2019 que há "pelo menos" dois investidores, de origem chinesa e europeia, interessados em apostar naquela cimenteira.

A aquisição pelo fundo turco OYAK da totalidade do capital da Cimpor em Portugal foi concluída em 04 de janeiro de 2019. Na altura, em comunicado, a OYAK (Ordu Yardimlasma Kurumu) e a Cimpor adiantaram que o fundo turco "integrará no seu portfólio as três fábricas e as duas moagens de cimento, as 20 pedreiras e as 46 centrais de betão localizadas em Portugal e em Cabo Verde", mantendo-se a marca Cimpor "intacta".

Fundado em 1961 na Turquia e apresentando-se como "o principal grupo 'holding' com investimentos estratégicos em diversas indústrias como cimento e betão, exploração mineira e metalurgia, automóvel, energia e químicos, agricultura, logística, finanças e alumina especializada", o OYAK emprega 30 mil pessoas em 19 países, tendo registado em 2017 um volume de negócios de 10,2 mil milhões de dólares (cerca de 8,97 mil milhões de euros).

Reclamando a liderança de mercado na Turquia, a OYAK conta com sete fábricas integradas de cimento, três moagens de cimento e 45 centrais de betão pronto naquele país, com uma capacidade anual de produção de 12 milhões de toneladas.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório