Meteorologia

  • 19 ABRIL 2021
Tempo
13º
MIN 11º MÁX 22º

Edição

Moscovo pede a israelitas e palestinianos para iniciarem negociações

A Rússia pediu hoje aos israelitas e aos palestinianos para iniciarem "negociações diretas" para encontrarem um "compromisso mutuamente aceitável", depois da apresentação do plano de paz para o Médio Oriente do Presidente norte-americano.

Moscovo pede a israelitas e palestinianos para iniciarem negociações
Notícias ao Minuto

19:36 - 28/01/20 por Lusa

Mundo Moscovo

"É preciso entrar em negociações diretas para alcançar um compromisso mutuamente aceitável. Não sabemos se a proposta norte-americana é mutuamente aceitável. Devemos esperar pela reação de ambas as partes", afirmou o vice-ministro das Relações Exteriores de Moscovo, Mikhail Bogdanov às agências russas, citado pela France-Presse.

O Presidente dos Estados Unidos da América (EUA), Donald Trump, apresentou hoje a "visão" que tem de um plano de paz no Médio Oriente, referindo que se trata de uma "solução realista de dois estados" e anunciou Jerusalém como a "capital indivisível" de Israel.

Durante uma cerimónia na Casa Branca, em Washington, ao lado do primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, Trump apresentou o plano de paz para o Médio Oriente, explicando que a aceitação do nascimento de um estado palestiniano deve estar condicionada a uma "clara rejeição do terrorismo".

O chefe de Estado norte-americano referiu que as soluções anteriores para a resolução do conflito israelo-palestiniano fracassaram porque eram "muito leves". Esta "visão" de Trump, explanada ao longo de 80 páginas, é "a mais arrojada".

O Presidente dos EUA acrescentou que este plano vai agradar a todas as partes, ignorando a rejeição desta ideia pelas autoridades palestinianas, nos últimos dias, por considerarem que é demasiado próxima dos interesses de Israel.

Donald Trump anunciou também que o plano admite uma capital da Palestina em Jerusalém oriental, mas a cidade será uma "capital indivisível", lembrando que os Estados Unidos já tinham aplicado essa condição quando anunciaram a transferência da embaixada norte-americana em Israel para esta cidade.

O plano exige ainda um congelamento de construção de novos colonatos israelitas, durante quatro anos, para permitir à Palestina consolidar o seu estado, enquanto decorrem negociações para estabilizar a situação.

O chefe do Governo Israel, Benjamin Netanyahu, congratulou-se com o plano de Washington, considerando que reconhece a soberania israelita sobre o Vale do Jordão e partes da Judeia e Samaria (Cisjordânia).

Trata-se de "um caminho realista para uma paz duradoura", considerou o primeiro-ministro israelita em funções.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório