Meteorologia

  • 21 FEVEREIRO 2020
Tempo
11º
MIN 11º MÁX 21º

Edição

Netanyahu quer comunidade internacional a agir contra "tiranos de Teerão"

O primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, exortou hoje a comunidade internacional a tomar medidas rápidas contra os "tiranos de Teerão" para evitar "outro Shoah".

Netanyahu quer comunidade internacional a agir contra "tiranos de Teerão"
Notícias ao Minuto

14:35 - 23/01/20 por Lusa

Mundo Israel

"Apelo a todos os governos a juntarem-se ao esforço vital para enfrentar o Irão", sublinhou Netanyahu na abertura das comemorações do 75.º aniversário da libertação do campo de concentração nazi de Auschwitz, e acrescentando: "Não pode ocorrer outro Shoah".

"Israel deve fazer o que estiver ao seu alcance para se defender", acrescentou, antes de saudar as sanções norte-americanas contra os "tiranos de Teerão".

No decurso do V Fórum Mundial do Holocausto, o primeiro-ministro israelita considerou Auschwitz o símbolo do que pode suceder caso o povo judeu não tenha proteção, algo que não se repetirá "porque hoje o povo judeu tem uma voz, uma terra e um escudo".

"Hoje a nossa voz escuta-se na Casa Branca e no Kremlin, nos corredores da ONU, no Congresso norte-americano e em múltiplas capitais do mundo", declarou.

E prosseguiu: "Auschwitz é a destruição e Jerusalém a redenção. Auschwitz é a escravidão e Jerusalém a liberdade. Auschwitz é a morte e Jerusalém é a vida".

Cerca de 40 dirigentes estrangeiros deslocaram-se a Jerusalém para as comemorações de hoje, com um programa centrado na luta contra o antissemitismo no Ocidente e o dossiê iraniano.

Para Netanyahu, a anterior ameaça nazi tem atualmente outro nome, o Irão, ao considerar que com o programa nuclear e balístico da República Islâmica ameaça a própria existência do Estado hebreu.

Teerão tem desmentido categoricamente pretender desenvolver um programa nuclear com fins militares.

Israel, que se opunha ao acordo sobre o nuclear iraniano de 2015 apelou aos europeus para apoiarem os Estados Unidos, que em maio de 2018 se retiraram deste programa antes de restabelecer sanções contra Teerão.

A questão iraniana esteve no centro do encontro de quarta-feira entre o Presidente francês Emmanuel Macron e Netanyahu, que tem pressionado Paris para impor sanções a Teerão à semelhança dos Estados Unidos.

Netanyahu elogiou hoje Emmanuel Macron, que no decurso da reunião conjunta considerou que "o antissionismo, por constituir a negação da existência de Israel como Estado, é um antissemitismo".

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório