Meteorologia

  • 04 ABRIL 2020
Tempo
17º
MIN 11º MÁX 18º

Edição

Moçambique conseguiu massificar os testes de sida em unidades sanitárias

Moçambique conseguiu massificar em 2019 os testes de sida nas unidades sanitárias como uma das formas de cumprir a estratégia global das Nações Unidas para travar a doença, disse hoje à Lusa fonte em Maputo do Fundo Global.

Moçambique conseguiu massificar os testes de sida em unidades sanitárias
Notícias ao Minuto

16:34 - 22/01/20 por Lusa

Mundo Sida

Moçambique conseguiu diagnosticar 73% das pessoas infetadas até finais de 2018, com perspetiva de chegar aos 80% em 2019, num contabilidade ainda por consolidar, referiu Francisco Mbofana, vice-presidente do mecanismo de coordenação do país do Fundo Global para combate à sida, malária e tuberculose, à margem de uma reunião de avaliação do trabalho no terreno.

O país procura enquadrar-se na estratégia 90-90-90, um conjunto de metas a alcançar até final de 2020 em que as Nações Unidas esperam que 90% de todas as pessoas que vivem com HIV conheçam o seu estado, que 90% das pessoas diagnosticadas recebam terapia antirretroviral e que 90% destas possuam carga viral suprimida e não possam mais transmitir o vírus.

Moçambique desenvolveu também uma abordagem da Organização Mundial da Saúde (OMS) designada "testar e iniciar: que todos iniciem o tratamento imediatamente após um diagnóstico positivo".

A direção do Fundo Global defende que sejam desenvolvidos "sistemas de saúde resilientes e sustentáveis para que no dia em que os recursos [dos doadores] diminuírem possa funcionar com os mesmos serviços".

A formação dos recursos humanos no local certo e retê-los no local de trabalho é dos mais importantes desafios do setor, concluiu.

O Fundo Global aprovou no último ano um total de 750 milhões de dólares (675 milhões de euros) para o combate à sida, malária e tuberculose até 2030 em Moçambique.

O número de mortes e nova infeções por VIH baixou em 2018, segundo dados do Conselho Nacional de Combate ao Sida (CNCS) de Moçambique.

Em 2018, a doença matou 53.886 pessoas contra 54.765 em 2017 e registaram-se 145.038 novas infeções contra 146.638 no ano anterior.

Mais de 1,2 milhões de moçambicanos estavam em tratamento antirretroviral em 2018, um aumento em relação ao ano anterior, em que o valor era pouco superior a 1,1 milhões.

Dados oficiais indicam que 13,2% da população moçambicana com idade entre 15 e 49 anos está infetada pelo HIV.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório