Meteorologia

  • 18 FEVEREIRO 2020
Tempo
14º
MIN 10º MÁX 15º

Edição

Número de refugiados na Europa através da Turquia aumentou em 2019

O número de migrantes que entraram na Europa através da Turquia aumentou significativamente no ano passado, com a maioria a fugirem dos conflitos na Síria e no Afeganistão e a partirem para a Grécia, disse hoje o diretor executivo da Frontex.

Número de refugiados na Europa através da Turquia aumentou em 2019
Notícias ao Minuto

15:58 - 17/01/20 por Lusa

Mundo Frontex

Mais de 82.000 migrantes tentaram entrar na Europa sem autorização em 2019, um aumento de 46% em relação ao ano anterior, avançou Fabrice Leggeri, o diretor executivo da agência que gere as fronteiras da União Europeia.

O aumento de refugiados deveu-se "principalmente à situação na Síria, mas também à instabilidade no Afeganistão e à mudança de políticas para com os cidadãos afegãos pelas autoridades iranianas e paquistanesas", explicou o responsável da Frontex, em conferência de imprensa hoje realizada em Bruxelas.

Fabrice Leggeri escusou-se a atribuir qualquer responsabilidade pela evolução dos números de migrantes à guarda costeira turca, garantindo que "está a trabalhar bem".

A União Europeia decidiu, em 2016, doar à Turquia seis mil milhões de euros em dinheiro e outros incentivos para convencer o Governo de Ancara a impedir que os migrantes deixassem a Turquia em direção à Grécia.

As ilhas orientais da Grécia foram consideradas em situação de superlotação e têm adotado, desde o verão passado, formas de diminuir o número de pessoas nos campos de refugiados.

Segundo a Frontex, o número de migrantes que chegaram à Europa no ano passado foi o mais alto desde que o acordo UE-Turquia entrou em vigor.

O Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, disse que o seu país não pode arcar com o ónus de hospedar 3,6 milhões de refugiados sírios e ameaçou "abrir as portas" para os migrantes seguirem para a Europa.

Segundo defendeu, a UE terá de fornecer mais apoios e dinheiro para que o acordo se mantenha, pedido a que Europa já admitiu que deverá aceder.

Ancara também procurou ajuda política e financeira da UE para a criação de uma área segura no norte da Síria, onde as pessoas que fogem do conflito possam refugiar-se ou para onde a Turquia as possa enviar, mas os europeus têm mostrado relutância em envolver-se nesse acordo.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório