Meteorologia

  • 17 JANEIRO 2020
Tempo
13º
MIN 11º MÁX 14º

Edição

Maré humana em Argel contra novo presidente

Uma maré humana invadiu hoje o centro de Argel para vaiar o novo chefe de Estado eleito na quinta-feira, Abdelmadjid Tebboune, um ex-fiel do Presidente deposto Abdelaziz Bouteflika, constatou uma jornalista da agência France-Presse.

Maré humana em Argel contra novo presidente
Notícias ao Minuto

15:37 - 13/12/19 por Lusa

Mundo Abdelmadjid Tebboune

"A votação é fraudulenta. As vossas eleições não nos dizem respeito e o vosso Presidente não nos governará", gritaram os manifestantes, que desfilam em massa nesta 43.ª sexta-feira de mobilização desde o início em fevereiro do movimento ("Hirak") de contestação popular inédito.

Segundo a jornalista da AFP, a mobilização é tão significativa como na passada sexta-feira, quando uma imensa multidão desfilou no centro da capital para rejeitar a eleição presidencial.

Os manifestantes seguram cartazes onde se pode ler: "Tebboune o teu mandato é um nado morto" ou "O vosso Presidente não me representa".

Os manifestantes são de todas as idades e de todas as condições sociais, homens e mulheres, algumas com véu e outras de 'jeans' e ténis.

"Tebboune é pior que Bouteflika. É conhecido por fazer parte dos ladrões. Não votámos e não vamos recuar", afirma Meriem, uma funcionária de 31 anos.

Abdelmadjid Tebboune, 74 anos, antigo ministro e chefe de governo de Abdelaziz Bouteflika, foi eleito à primeira volta para lhe suceder na chefia do Estado da Argélia, anunciou hoje a Autoridade Nacional Independente das Eleições (ANIE).

Tebboune "recolheu (...) 58,15% dos votos", disse o presidente da ANIE, Mohamed Charfi, no dia seguinte ao do escrutínio marcado por uma abstenção recorde, a destruição de algumas assembleias de votos e uma manifestação de protesto em Argel.

A ANIE indicou hoje que a taxa de participação foi de 39,83% - depois de na quinta-feira referir que tinham votado 41,14 dos 24,4 milhões de eleitores - a mais fraca da história das eleições presidenciais pluralistas na Argélia.

O Conselho Constitucional deve proclamar os resultados definitivos entre 16 e 25 de dezembro, após a análise de eventuais recursos, segundo a ANIE.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório