Meteorologia

  • 11 JULHO 2020
Tempo
25º
MIN 19º MÁX 35º

Edição

Pelo menos oito pessoas morreram num ataque a um autocarro no Quénia

Pelo menos oito pessoas morreram hoje na sequência de um ataque a um autocarro, alegadamente levado a cabo por membros do grupo jihadista somali Al Shabab, no condado de Wajir (nordeste do Quénia), informou a polícia.

Pelo menos oito pessoas morreram num ataque a um autocarro no Quénia
Notícias ao Minuto

20:16 - 06/12/19 por Lusa

Mundo Quénia

"Sim, posso confirmar que o ataque ocorreu e que perdemos oito vidas, inocentes quenianos", disse o comissário de polícia do noroeste do Quénia, Mohamed Birik, em declarações ao jornal The Star.

Os atacantes fizeram parar o autocarro, que circulava entre as cidades de Kutulo e Wargadud, ordenaram aos passageiros que saíssem do veículo e separaram-nos entre locais e não locais, para acabar com a vida destes últimos.

Depois de executarem as pessoas, os agressores ordenaram aos restantes passageiros que regressassem ao autocarro e que continuassem a viagem para o seu destino, a cidade de Mandera, na fronteira com a Somália.

"É lamentável que a Al Shabab tenha aperfeiçoado a arte de matar almas inocentes. É diabólico e triste esta sede de sangue de quenianos inocentes", disse Birik.

"Como Governo, nunca cederemos. Vamos buscá-los e tirá-los de seus esconderijos", acrescentou o comissário.

Agentes de polícia, liderados por forças especiais, foram destacados para o terreno e estão a levar a cabo ações de vigilância terrestre e aérea e ao mesmo tempo a perseguirem os atacantes, que fugiram para a vizinha Somália.

O governador de Wajir, Mohamed Abdi, condenou o ataque e pediu ao governo central mais medidas de segurança.

"Quero apelar ao nosso aparelho de segurança para que seja sempre proativo e para que esteja alerta. Não podemos perder vidas hoje" às mãos de terroristas, comentou Abdi.

A emboscada dos 'jihadistas' ocorreu depois de dois alegados terroristas terem sido mortos e cinco pessoas, incluindo dois polícias, terem sido feridas, em 30 de outubro no ataque do Al Shabab a uma esquadra de polícia em Wajir.

O pior ataque do grupo terrorista a um autocarro no Quénia ocorreu em 22 de novembro de 2014, quando executou 28 dos 60 passageiros, depois de os ter identificado como não muçulmanos.

O condado de Wajir faz fronteira com a Somália, onde o Al Shabab, um grupo que aderiu à Al Qaida em 2012, controla parte do território, no centro e no sul, e aspira a estabelecer um Estado islâmico (ultraconservador) wahhabi nesse país.

Desde outubro de 2011, quando o governo queniano enviou o exército para a Somália em resposta a uma onda de raptos, alegadamente perpetrados pelo Al Shabab no seu território, os radicais islâmicos levaram a cabo numerosos ataques no Quénia.

Esta organização terrorista reivindicou a responsabilidade pelo ataque a um complexo hoteleiro de Nairobi, em 15 de janeiro, que resultou em 21 mortes.

O ataque mais grave do Al Shabab em solo queniano ocorreu em abril de 2015, quando 148 pessoas foram mortas no ataque a um comando terrorista, na Universidade de Garissa (norte).

A Somália vive em estado de conflito e caos desde 1991, quando o ditador Mohamed Siad Barré foi derrubado, deixando o país sem um governo eficaz e nas mãos de milícias e senhores da guerra islâmicos.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório