Meteorologia

  • 28 JANEIRO 2020
Tempo
14º
MIN 13º MÁX 17º

Edição

Homem processa pais de jovem que matou. Quer 90 milhões de indemnização

George Zimmerman foi absolvido do homicídio de Trayvon Martin em 2013, numa decisão polémica da justiça norte-americana.

Homem processa pais de jovem que matou. Quer 90 milhões de indemnização

George Zimmerman está a processar os pais de Trayvon Martin, o jovem negro que matou em 2012, num caso que gerou grande polémica nos Estados Unidos e que originou o movimento Black Lives Matter. Segundo a CNN, o processo deu entrada num tribunal da Flórida esta quarta-feira. Zimmerman acredita que foi alvo de uma conspiração para ser condenado pelo crime e quer uma indemnização de 100 milhões de dólares (cerca de 90 milhões de euros).

A principal alegação que sustenta este processo é a de que o advogado de direitos humanos Ben Crump, que defendeu os pais de Trayvon Martin, substituiu uma testemunha por outra.

O processo refere que Rachel Jeantel testemunhou no caso do homicídio de Martin como sendo sua namorada e a pessoa que estava a falar com o jovem quando este encontrou George Zimmerman, um encontro que teve um desfecho fatal para Martin.

O advogado Larry Klayman, que anunciou o processo movido contra os pais do adolescente, insiste que a namorada de Martin era a meia-irmã de Jeantel, Brittany Diamond Eugene, e acusa os pais de Martin, procuradores e autoridades estatais de saberem deste alegado esquema, que diz ser “fraude de testemunhas e obstrução à justiça”.

Ben Crump e os pais de Trayvon Martin, Tracy Martin e Sybrina Fulton, já reagiram a este processo e rejeitaram as alegações de Zimmerman e do seu advogado.

“Eu tenho total confiança de que este processo infundado e inconsequente vai ser desmascarado pelo que é, outra tentativa falhada de defender o indefensável e uma tentativa vergonhosa de lucrar com a vida e o luto de outros”, frisou Crump num comunicado.

George Zimmerman, um vigilante de bairro, disparou sobre Trayvon Martin alegando legítima defesa em fevereiro de 2012. A polícia não o acusou de homicídio justificando que não tinha provas que contrariassem a sua versão dos acontecimentos. Isto apesar de Martin estar desarmado quando Zimmerman o atingiu a tiro.

No entanto, semanas depois e na sequência da revolta gerada pelo crime, um procurador especial acusou Zimmerman do homicídio de Trayvon Martin. Mas um júri decidiu absolvê-lo de todas as acusações em julho de 2013.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório