Meteorologia

  • 10 DEZEMBRO 2019
Tempo
10º
MIN 6º MÁX 15º

Edição

Vencer as próximas eleições é "altamente improvável" para o SPD

A diretora da Academia para a Educação Política (Akademie für Politische Bildung), Ursula Münch, acredita que é "altamente improvável" que o Partido Social Democrata (SPD) da Alemanha vença as próximas eleições legislativas depois de ter escolhido uma nova liderança.

Vencer as próximas eleições é "altamente improvável" para o SPD
Notícias ao Minuto

08:44 - 04/12/19 por Lusa

Mundo Ursula Münch

"O SPD recebeu apenas 20,5% dos votos na última eleição do Bundestag [parlamento] em setembro de 2017. De acordo com as sondagens atuais está agora perto dos 14%. Não só acho altamente improvável que o partido ganhe as próximas eleições, como o próprio copresidente recém-eleito, Walter-Borjans também parece considerar uma vitória pouco realista", sublinha à agência Lusa a politóloga.

Ao contrário das previsões da maioria dos analistas, Norbert Walter-Borjans, ex-secretário das Finanças do Estado da Renânia do Norte-Vestfália, e a deputada Saskia Esken venceram a eleição pela liderança do partido de centro-esquerda com 53,06% dos votos, que se realizou no passado fim de semana.

A dupla, que pertence à ala mais à esquerda do SPD e que defende uma saída da coligação com a União Democrata Cristã (CDU), o partido da chanceler Angela Merkel, derrotou a equipa formada pelo ministro das Finanças, Olaf Scholz e Klara Geywitz, que não foi além dos 45,33% dos votos.

"Acredito que as possibilidades de que a nova dupla reconquiste os eleitores do SPD são pequenas. Isso acontece porque os potenciais eleitores do partido estão menos nas margens e mais no centro do espetro político", esclarece Ursula Münch.

"Os dois novos líderes mantêm posições mais próximas do partido Esquerda (Die Linke). É desta forma que conseguem chegar à Juventude Socialista (Jusos), cuja mobilização contribuiu significativamente para o sucesso de Saskia Esken e Norbert Walter-Borjans, mas dificilmente ao antigo eleitorado social-democrata", sentencia a diretora da Academia para a Educação Política (Akademie für Politische Bildung).

"O entusiasmo da ala esquerda do partido com a nova dupla é grande. Mas isso não é suficiente para reconquistar os eleitores, para isso acontecer seria necessário ter mais atenção às principais transformações técnicas, políticas e sociais (globalização, digitalização e mudança climática) e encontrar uma forma de moldar essas mudanças da forma mais social possível", destaca.

Cerca de 425 mil membros do SPD estavam registados para votar nas eleições do passado fim de semana. O resultado ainda precisa de ser confirmado no congresso do partido que começa esta sexta-feira e termina no domingo.

De acordo com uma sondagem do instituto INSA, publicada esta segunda-feira, caso a Alemanha fosse a eleições, a CDU venceria com 26,5%, seguido dos Verdes com 21,5% e do SPD ficaria em terceiro lugar, com 13,5%.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório