Meteorologia

  • 09 DEZEMBRO 2019
Tempo
16º
MIN 10º MÁX 17º

Edição

Número de soldados malianos mortos junto à fronteira sobe para 30

O mais recente balanço das forças de segurança do Mali aponta para a morte de pelo menos 30 soldados malianos num ataque na segunda-feira, junto à fronteira com o Níger, segundo agências internacionais.

Número de soldados malianos mortos junto à fronteira sobe para 30
Notícias ao Minuto

23:54 - 19/11/19 por Lusa

Mundo Mali

"Trinta corpos de soldados mortos durante uma missão no setor Tabankort (região de Ménaka) chegaram a Gao vindos de Niamey (Níger)", durante a manhã de hoje, explicou uma fonte citada pela agência France-Presse.

O número de soldados mortos sobe assim face ao número anteriormente divulgado, que se cifrava em 24.

As vítimas deveriam ser enterradas hoje, num campo militar em Gao, uma grande cidade no centro-norte do Mali, numa cerimónia que contaria com a presença do ministro da Defesa do país, Ibrahima Dahirou Dembelé, segundo fontes de segurança malianas, também citadas pela AFP.

As autoridades continuam as operações de busca por soldados desaparecidos.

As forças malianas e nigerinas estavam a realizar uma operação conjunta na segunda-feira que tinha como alvo os grupos 'jihadistas' na região, mas a patrulha foi atacada na área fronteiriça, segundo o exército maliano.

Do lado dos insurgentes, as autoridades malianas contabilizaram 17 mortes e a captura de cerca de 100 "suspeitos" pelas forças nigerinas.

Este ataque às forças militares nigerinas e malianas surgiu depois de uma ofensiva conduzida pelo exército francês, que anunciou a captura ou morte de cerca 24 membros de grupos jihadistas este mês.

As Forças Armadas do Mali e as Forças de Defesa e Segurança do Níger montaram na segunda-feira uma operação conjunta transfronteiriça chamada 'Tongo Tongo', que patrulhava a vila de Tabankort, no território do Mali, quando foram surpreendidos por fogo hostil.

Apesar dos esforços da formação da União Europeia, da Missão das Nações Unidas no Mali (MINUSMA) e da operação francesa Barkhane (4.500 soldados), os exércitos nacionais dos países do Sahel estão entre os mais pobres do mundo, dificultando o combate à crescente presença de grupos jihadistas na região.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório