Meteorologia

  • 09 DEZEMBRO 2019
Tempo
12º
MIN 11º MÁX 17º

Edição

Ex-presidente do Paraguai alvo de mandado de prisão no Brasil

Um juiz do Brasil emitiu hoje uma ordem de prisão contra o ex-presidente paraguaio Horacio Cartes (2013-2018), num caso relacionado com a Operação Lava Jato, informaram fontes oficiais.

Ex-presidente do Paraguai alvo de mandado de prisão no Brasil
Notícias ao Minuto

13:47 - 19/11/19 por Lusa

Mundo Horacio Cartes

A decisão foi tomada pelo juiz brasileiro Marcelo Bretas, responsável pelas investigações no estado do Rio de Janeiro sobre os desvios milionários que ocorreram na empresa estatal petrolífera Petrobras e um vasto esquema de corrupção de dimensão internacional.

Os investigadores da Lava Jato suspeitam que o ex-presidente paraguaio tenha ajudado na fuga de Darío Messer, brasileiro que negociava dólares no mercado paralelo, e que foi preso em São Paulo em julho passado, depois de fugir do Paraguai, informou o portal de notícias brasileiro G1.

Segundo as investigações, Messer liderou uma sofisticada rede de branqueamento de capitais transnacional que movimentou milhões de dólares nas últimas décadas e foi uma figura essencial para a prática de crimes como corrupção e sonegação de impostos investigados na Lava Jato.

Darío Messer enfrenta vários processos judiciais no Brasil e no Paraguai desde o final dos anos de 1980, sendo suspeito de transferir dinheiro de forma irregular para políticos e empresários.

A operação realizada hoje foi batizada com o nome de "Patrón" e inclui 20 ordens de prisão em diferentes endereços nos estados brasileiros do Rio de Janeiro, São Paulo, e no município de Ponta Porã, localizado na fronteira do Brasil com o Paraguai, segundo um comunicado da Polícia Federal.

A ação é realizada por cem agentes da Polícia Federal brasileira, juntamente com funcionários do Ministério Público Federal e do Tesouro.

Os nomes dos investigados nesta operação, alguns dos quais residem no Paraguai e nos Estados Unidos da América, foram incluídos na lista da Interpol, informaram as autoridades brasileiras.

Messer também é investigado no Paraguai, onde as autoridades suspeitam que ele, o seu filho e o primo de Horacio Cartes, de quem a imprensa paraguaia diz que Messer era amigo, teriam realizado operações irregulares naquele país por um valor de 40 milhões de dólares (36,1 milhões de euros).

A Justiça concedeu a Messer a nacionalidade do Paraguai em 2017 porque ele residia naquele país desde 1993, mas retirou-a um ano depois quando as autoridades paraguaias descobriram que o brasileiro estava "sendo investigado por integrar uma organização criminosa" focada em branqueamento de capitais de dinheiro derivado de corrupção através da compra e venda de dólares americanos.

A operação Lava Jato, iniciada em 2014, desvendou um vasto esquema de corrupção envolvendo a petrolífera Petrobras e outros órgãos públicos brasileiros, que levou à prisão de empresários, ex-funcionários públicos e políticos.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório