Meteorologia

  • 14 DEZEMBRO 2019
Tempo
14º
MIN 13º MÁX 17º

Edição

Homem morre atingido por "objeto duro" durante protestos em Hong Kong

Os protestos têm decorrido em Hong Kong há meses e a violência tem escalado.

Homem morre atingido por "objeto duro" durante protestos em Hong Kong

Um homem morreu em Hong Kong depois de ter sido atingido na cabeça durante os confrontos entre os apoiantes do governo e os manifestantes. O governo, citado pela BBC, diz que um empregado de limpeza de 70 anos estava na hora de almoço, na quarta-feira, quando foi atingido por "objetos duros atirados por manifestantes encapuzados".

Um superintendente da polícia explicou ao meio de comunicação SCMP que o homem não estava envolvido nos protestos, estava apenas a "tirar fotografias da cena". Acabou por morrer no hospital no dia seguinte devido aos ferimentos.

Os protestos decorrem em Hong Kong há meses e a violência tem escalado. Na segunda-feira, um agente da polícia atirou sobre um ativista e um homem imolou-se enquanto discutia com manifestantes anti-governo. E há uma semana, uma estudante de 22 anos morreu depois de cair de um prédio durante uma operação policial.

A secretária de Estado da Justiça de Hong Kong, Theresa Cheng, ficou ferida depois de ter sido atacada em Londres por manifestantes anti-governo. Alguns dos membros do grupo gritavam "assassina" durante a altercação e Theresa Cheng que acabou por cair ao chão. Depois de conseguir levantar-se foi escoltada para outro local.

Porque há protestos em Hong Kong?

Hong Kong faz parte da China sobre um modelo conhecido como 'um país, dois sistemas'. Sobre este modelo, Hong Kong tem um alto nível de autonomia e os cidadãos gozam de liberdades que não são permitidas na China. 

Os protestos começaram em junho deste ano, depois de o governo tentar passar uma lei que permitia que os suspeitos de crimes fossem extraditados para a China. Vários temeram que isso pudesse minimizar a liberdade da cidade e a sua independência judicial. Eventualmente, o projeto de lei foi retirado, mas os protestos continuaram e têm ocorrido todos os fins de semana nos passados meses.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório