Meteorologia

  • 12 DEZEMBRO 2019
Tempo
11º
MIN 10º MÁX 16º

Edição

Macron alerta para "crise sem precedentes" no sistema multilateral

O presidente francês, Emmanuel Macron, alertou hoje que o sistema multilateral está à beira de uma "crise sem precedentes", apontando a progressão dos nacionalismos e do princípio da "não-cooperação" como as sementes de possíveis futuros conflitos.

Macron alerta para "crise sem precedentes" no sistema multilateral

Emmanuel Macron falava na abertura da segunda edição do Fórum da Paz, iniciativa que arrancou hoje em Paris e que vai reunir até quarta-feira cerca de 30 chefes de Estado e de Governo, grande parte oriundos de países africanos, e representantes de várias organizações não-governamentais (ONG) e instituições internacionais.

O tom do discurso do chefe de Estado francês foi marcado pela defesa e pela necessidade de reforçar os vínculos entre países.

"Acredito que poderá acontecer uma crise sem precedentes no nosso sistema internacional", declarou Macron, considerando que "o nacionalismo é guerra e que a não-cooperação destrói tudo o que foi erguido nos últimos anos".

O Fórum de Paris para a Paz foi uma iniciativa lançada pelo Presidente francês no verão de 2017, no âmbito das celebrações do centenário do fim da I Guerra Mundial (1914-1918), e teve a sua primeira edição em novembro de 2018.

Na sua intervenção, Macron frisou que a Europa, e os respetivos progressos, são um exemplo da importância e do peso da cooperação internacional, lembrando igualmente que, no passado, este mesmo continente também refletiu "o preço a pagar por uma não-cooperação".

Contra tal "preço", defendeu o presidente francês, é necessário investir "numa cooperação equilibrada e no multilateralismo".

Macron, que na semana passada considerou numa entrevista que a NATO se encontra num estado de "morte cerebral", afirmou que o Fórum da Paz pode ser uma plataforma para desenvolver "novas iniciativas" que complementem o trabalho já realizado por organizações internacionais no âmbito da cooperação.

A sessão de abertura do Fórum também contou com a presença da presidente da Comissão Europeia eleita, Ursula Von der Leyen, que, na sua intervenção, defendeu igualmente o multilateralismo e prometeu iniciar uma "verdadeira Comissão geopolítica", "uma Europa mais voltada para o exterior".

"Sozinha, nenhuma pessoa consegue enfrentar (os desafios). Apenas juntos podemos trabalhar pela paz e pela prosperidade", insistiu a representante, prometendo aumentar em 30% os gastos externos da União Europeia.

Uma linha de pensamento também mencionada pelo vice-presidente chinês, Qishan Wang, e pelo Presidente da República Democrática do Congo, Félix Tshisekedi, que apelou à criação de uma aliança mundial para a paz.

Até quarta-feira, o Fórum da Paz, que foi lançado com o intuito de reforçar o multilateralismo no mundo, vai acolher debates com a presença de várias personalidades, como é o caso do secretário-geral da ONU, António Guterres.

As alterações climáticas, as desigualdades sociais, a desinformação ou a cibercriminalidade são alguns dos temas em foco no Fórum da Paz.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório