Meteorologia

  • 09 DEZEMBRO 2019
Tempo
12º
MIN 11º MÁX 17º

Edição

Mulher descobriu que estava 'morta' quando foi aviar receita médica

Sherry Ellis foi declarada morta por engano. Enquanto aguarda que a 'ressuscitem', teme os elevados encargos dos medicamentos que toma, uma vez que perdeu os seus apoios sociais.

Mulher descobriu que estava 'morta' quando foi aviar receita médica

Um dia depois do Halloween, Sherry Ellis descobriu que tinha sido declarada morta e que não se tratava de uma brincadeira do Dia das Bruxas. A CNN refere que a mulher de 73 anos, que vive em Magnolia, no Texas, foi informada da sua morte quando se dirigiu ao seu banco.

Sherry foi à dependência bancária porque estranhou o facto do seu cartão de crédito ter sido recusado quanto tentou pagar os seus medicamentos. No banco, após vários telefonemas, Sherry descobriu que tinha sido declarada morta pela segurança social norte-americana.

“Com o meu cartão de crédito a ser recusado em todo o lado, eu não posso pagar combustível, eu não tenho dinheiro para comprar comida, não posso fazer nada. Eu não sei há quanto estava morta antes de descobrir isto”, disse Sherry.

A situação de Sherry está longe de ser um caso único nos Estados Unidos. Muito pelo contrário. Números de 2016 dão conta de perto de mil casos de declarações de morte por engano… por mês.

Um dos problemas que esta errada declaração de óbito acarreta para Sherry e para outras pessoas que passam pelo mesmo é o facto dos seus benefícios sociais terminarem. Como Sherry Ellis explicou à CNN, o seu cheque da segurança social, o Medicare (o programa de seguro de saúde nos Estados Unidos) e um seguro secundário estão suspensos até que esta questão seja resolvida.

Sherry toma dez medicamentos diferentes para a pressão arterial, uma doença no estômago e problemas cardíacos. Sem seguro o custo desses medicamentos pode chegar aos 1.400 dólares (1.270 euros).

“A Medicare disse que não pode fazer nada até que a segurança social me ressuscite”, afirmou Sherry Ellis. Algo que pode levar bastante tempo a acontecer. 

A mulher deslocou-se a um dos escritórios da Medicare e foi informada que o processo para a ‘ressuscitarem’ pode levar 45 dias.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório