Meteorologia

  • 12 NOVEMBRO 2019
Tempo
16º
MIN 12º MÁX 18º

Edição

México. Rapaz de 13 anos caminhou seis horas após morte de mãe e irmãos

Devin é uma das oito crianças que sobreviveram ao massacre no México, que vitimou três mães e seis crianças. O rapaz caminhou 25 quilómetros mas conseguiu pedir ajuda.

México. Rapaz de 13 anos caminhou seis horas após morte de mãe e irmãos

Depois de ter assistido à violenta morta da mãe e dos irmãos, no massacre de Sonora, no México, um rapaz de 13 anos caminhou durante seis horas para conseguir pedir ajuda para os sobreviventes.

Devin Blake Langford (na fotografia, com a mãe) era uma das 14 crianças e três mulheres que foram atacadas por elementos de um cartel no norte do México, na segunda-feira. O violento ataque resultou na morte das três mães e de seis crianças, havendo ainda oito menores que sobreviveram ao ataque, todas com dupla cidadania mexicana e norte-americana, revelaram as autoridades mexicanas.

A história foi contada, esta terça-feira, por uma familiar, Kendra Lee Miller, através do Facebook. Devin estava numa das três carrinhas pretas, com a mãe, Dawna, quando foram atingidos por rajadas de tiros. Dawna, de 43 anos, e os dois irmãos mais novos de Devin - Trevor, de 11 anos, e Rogan, de dois - morreram.

Devin, que ainda tinha um irmão mais velho no local, conseguiu esconder-se com outros sobreviventes entre uns arbustos, depois do ataque. Quando achou seguro, caminhou 25 quilómetros, de volta a LaMora, para pedir ajuda.

Para trás ficaram Kylie, de 14 anos, McKenzie, de nove, Cody, de oito, Jake, de seis, Xander, de quatro, e Brixon, com apenas nove meses. Algumas destas crianças estavam feridas e esperaram que Devin regressasse com ajuda. Entretanto, McKenzie também tinha saído do local, para fazer o mesmo.

Devin levou "as primeiras notícias que alguém ouviu" sobre o ataque e alguns familiares "armados" dirigiram-se ao local. "Não foram muito longe até se aperceberem que também podiam morrer, uma vez que se ouviram disparos durante horas na zona", escreveu Miller.

As crianças foram encontradas e levadas para um hospital local, antes de terem sido colocados num avião para regressarem aos Estados Unidos. McKenzie foi encontrada duas horas depois por familiares e tropas mexicanas, também com vida.

As vítimas viajavam numa caravana de três automóveis entre Galeana e Sonora, no México, perto da fronteira com os Estados Unidos, quando foram atacadas pelo grupo armado suspeito de ligações a cartéis de droga, que disparou indiscriminadamente sobre os passageiros.

As mulheres e crianças pertenciam a uma comunidade religiosa de La Mora, no norte do México, ligada a uma ramificação da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (conhecida como igreja Mórmon). O ministro mexicano da Segurança e Proteção do Cidadão, Alfonso Durazo, admitiu a possibilidade de as vítimas terem sido confundidas com um gangue rival de cartéis de droga, devido ao tipo de carros (SUV de cor preta) em que se deslocavam.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório