Meteorologia

  • 18 NOVEMBRO 2019
Tempo
11º
MIN 9º MÁX 15º

Edição

Países observadores da CPLP podem vir a financiar cooperação

O secretário-executivo da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) disse hoje, em Lisboa, que os países observadores associados da organização podem vir a financiar projetos de cooperação, assunto a decidir na cimeira de 2020 em Luanda.

Países observadores da CPLP podem vir a financiar cooperação
Notícias ao Minuto

14:57 - 23/10/19 por Lusa

Mundo CPLP

"Tendo em conta o número crescente de países observadores associados da CPLP, nós estamos num processo de reflexão sobre a melhor forma de aproveitar todas as potencialidades e de criar sinergias entre os países observadores e a CPLP", afirmou o embaixador Francisco Ribeiro Telles, em declarações à imprensa, à margem de um debate a decorrer hoje, na Sociedade de Geografia, sobre o futuro da organização.

Segundo o diplomata, neste contexto, "uma das ideias que está em cima da mesa é que projetos de cooperação que envolvam os Estados-membros da CPLP possam vir a ter o financiamento de países observadores".

"Portanto, agora há que partir pedra e ver quais são os projetos que interessam à CPLP e quais os que interessam aos países observadores", comentou.

Francisco Ribeiro Telles recordou que já houve uma reunião com os países observadores, este ano, na qual foi debatido o assunto, e adiantou que haverá uma outra, ainda antes do final de 2019, provavelmente em novembro, para continuar aquilo a que chamou "processo de reflexão".

Nesta próxima reunião, o diplomata admitiu que "podem ser dados passos importantes para que na cimeira de Luanda possa haver uma decisão naquele sentido".

Durante o debate que hoje decorreu em Lisboa sobre "CPLP -- Que presente e que futuro", na sua intervenção, o secretário-executivo referiu que já foram aprovadas também as candidaturas do Peru, Roménia, Grécia, Qatar e Costa do Marfim que, desta forma em breve poderão fazer parte daquele grupo, logo que sejam "sancionadas na cimeira de chefes de Estado e de Governo", a decorrer em Luanda, capital de Angola, em 2020.

Também os Estados Unidos da América apresentaram recentemente o pedido para serem observadores associados da organização lusófona.

A Comunidade dos Países de Língua Portuguesa contava em 2014 com três observadores associados, lembrou Ribeiro Telles, na sua intervenção, em que adiantou que havia "várias ideias a germinarem ao nível dos Estados-membros da CPLP" sobre como se encaixar os países observadores na organização.

Na mesma, considerou ainda que a tendência "era cada vez mais para que países observadores possam vir a financiar ou a colaborar em projetos de cooperação nos Estados-membros da CPLP".

A CPLP é composta por Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste.

Atualmente, são observadores associados 18 países e uma organização internacional (Organização dos Estados Ibero-Americanos).

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório