Meteorologia

  • 18 NOVEMBRO 2019
Tempo
11º
MIN 9º MÁX 15º

Edição

Extrema-direita pede que política atue "de uma vez por todas" na região

O secretário-geral do partido Vox (extrema direita) pediu hoje ao governo espanhol que autorize "de uma vez por todas" a polícia a atuar "como sabe" na Catalunha e, em consequência, use "todo o material antidistúrbios".

Extrema-direita pede que política atue "de uma vez por todas" na região

Antes de participar numa manifestação da associação de polícias e guardas civis em Madrid, Javier Ortega Smith, o número dois do partido Vox, apelou também a uma intervenção das forças de intervenção da Guarda Civil, consideradas unidades militares de elite, para "irem em apoio" ao efetivo destacado para a Catalunha.

Para Javier Ortega Smith, "a responsabilidade do que acontece nestes momentos em Barcelona e nas ruas de outras cidades de Espanha" é do Governo.

"É urgente atuar contra os totalitários e terroristas" e "restaurar a ordem e a liberdade", acrescentou, apelando a uma ação "com firmeza e profissionalismo" e com "todas as tropas necessárias" na Catalunha.

Na sexta-feira, dia em que a Catalunha cumpria um dia de greve geral para contestar a deliberação do Supremo Tribunal espanhol que condenou, na segunda-feira, os principais dirigentes políticos catalães - envolvidos na tentativa de independência daquela comunidade autónoma espanhola - a penas que vão até um máximo de 13 anos de prisão, cerca de 525.000 pessoas concentraram-se em Barcelona para participar numa manifestação que juntou várias "marchas pela liberdade".

A cidade de Barcelona tornou-se, desde a noite de segunda-feira, cenário de confrontos entre polícias e manifestantes, que construíram barricadas, queimaram mobiliário urbano e pneus, fizeram fogueiras e atiraram pedras e petardos contra as autoridades.

Nos últimos dias, grupos de jovens independentistas têm enfrentado a polícia de forma violenta nas ruas do centro da cidade, provocando estragos em montras, esplanadas, contentores e automóveis, tendo o número de feridos nos protestos aumentado para 77, 52 das quais em Barcelona, segundo os últimos dados do Serviço de Emergência Médica.

O ministro do Interior em funções, Fernando Grande-Marlaska, anunciou ao final de sexta-feira que 207 agentes das forças de segurança ficaram feridos em distúrbios na Catalunha.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório