Meteorologia

  • 13 NOVEMBRO 2019
Tempo
14º
MIN 13º MÁX 19º

Edição

Secretário da Energia dos EUA renuncia ao cargo, Trump já aceitou

O secretário norte-americano da Energia, Rick Perry, renunciou hoje ao cargo num momento de crescente controvérsia sobre o seu papel nas pressões da Casa Branca à Ucrânia para investigar o ex-vice-Presidente Joe Biden, tendo o Presidente aceitado.

Secretário da Energia dos EUA renuncia ao cargo, Trump já aceitou
Notícias ao Minuto

00:00 - 17/10/19 por Lusa

Mundo EUA

O anúncio da renúncia terá sido feito hoje por Rick Perry ao Presidente durante uma viagem no avião presidencial para o Texas, onde Donald Trump está em campanha eleitoral.

"Rick [Perry] fez um trabalho fantástico na Energia, mas já era tempo [de sair], três anos é muito tempo", afirmou Donald Trump no Texas, garantindo que já existe um sucessor, mas sem avançar nomes.

Rick Perry era um dos poucos membros do gabinete original escolhido por Donald Trump que ainda permanecia com o Presidente, mas, nas últimas semanas, tem sido acusado de fazer parte de um trio político (com o embaixador norte-americano na União Europeia e o representante especial dos EUA em Kiev, Kurt Volker) que terá pressionado a Ucrânia.

Donald Trump foi acusado, em setembro, de ter feito um telefonema para o Presidente da Ucrânia no qual o tentou pressionar a investigar Hunter Biden, filho de Joe Biden, vice-presidente no mandato de Barack Obama e atual candidato à Casa Branca pelo Partido Democrata, por suspeita de irregularidades na sua ligação a uma empresa ucraniana.

No telefonema, feito para felicitar Volodymyr Zelenski pela sua investidura como Presidente da Ucrânia, Donald Trump terá pedido oito vezes ao seu homólogo que investigasse Joe Biden e o seu filho por atos de corrupção na Ucrânia.

A alegada pressão terá começado uns dias antes do telefonema, quando Trump congelou ajuda militar à Ucrânia, no valor de cerca de 400 milhões dólares (363 milhões de euros), como forma de coagir o Governo ucraniano a abrir a investigação pedida.

A ajuda militar foi transferida depois, em 11 de setembro.

O caso levou a presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, a democrata Nancy Pelosi, a pedir a abertura de um processo de destituição do Presidente por abuso de poder e violação da segurança nacional.

Numa entrevista publicada na quarta-feira pelo The Wall Street Journal, Perry reconheceu que estava em contacto com o advogado pessoal de Trump, Rudy Giuliani, sobre questões relacionadas com a Ucrânia, dando a entender que o advogado tem um papel importante na política externa norte-americana.

O ainda secretário de Energia está a ser investigado pelos democratas na Câmara dos Representantes e tem até sexta-feira para fornecer documentos sobre o seu papel em relação à Ucrânia no âmbito do processo de 'impeachment' de Donald Trump.

Perry garantiu ao jornal que queria manter-se no cargo pelo menos até ao final de novembro, mas a data de saída será decidida pelo Presidente.

Rick Perry, de 69 anos, foi governador do Texas no início desta década e Trump chegou a considerá-lo um possível chefe do seu gabinete ou secretário de Segurança Nacional.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório