Meteorologia

  • 16 OUTUBRO 2019
Tempo
20º
MIN 13º MÁX 21º

Edição

Ex-embaixadora dos EUA na Ucrânia vai depor no inquérito de destituição

A ex-embaixadora dos EUA na Ucrânia Marie Yovanovitch vai depor hoje no inquérito de destituição do Presidente Donald Trump, apesar de a Casa Branca ter dado instruções aos funcionários para não colaborarem no processo.

Ex-embaixadora dos EUA na Ucrânia vai depor no inquérito de destituição
Notícias ao Minuto

16:48 - 11/10/19 por Lusa

Mundo Marie Yovanovitch

Marie Yovanovitch pode ser uma testemunha importante para esclarecer o grau de influência que Rudolph Giuliani, advogado pessoal de Trump, teve na tentativa de convencer as autoridades ucranianas a investigarem as atividades junto de uma empresa local de Hunter Biden, filho de Joe Biden, ex-vice-Presidente e atual adversário político do Presidente.

A Casa Branca enviou esta semana uma carta para o Congresso, dizendo que se recusa a colaborar e que impedirá os seus funcionários a colaborar no inquérito de destituição de Trump, acusado de pressão sobre o Presidente ucraniano para investigar um seu adversário político, no que pode constituir um abuso de poder no exercício do cargo.

A dúvida pairava sobre se Marie Yovanovitch iria depor na comissão de inquérito já que ela ainda é funcionária da administração Trump.

Yovanovitch foi retirada do cargo de embaixadora na Ucrânia, por falta de confiança política, na altura em que Rudolph Giuliani começou a exercer pressão junto das autoridades ucranianas para investigarem a atividade de Hunter Biden, ligado a uma empresa da Ucrânia que está a ser investigada pela justiça.

A antiga embaixadora disse recentemente que foi removida do cargo após insistir que os pedidos de investigação à empresa de Hunter Biden fossem transmitidos às autoridades ucranianas seguindo o protocolo diplomático, o que não estava a suceder, no momento em que o advogado pessoal de Donald Trump se encarregou do assunto.

Esta semana, a Casa Branca tentou impedir o depoimento de um outro diplomata envolvido no caso: Gordon Sondland, antigo embaixador dos EUA junto da União Europeia, que mediou o processo entre os assessores de Trump e o corpo diplomático norte-americano na Ucrânia.

Contudo, hoje de manhã, os advogados de Sondland disseram que o ex-embaixador comparecerá perante uma comissão da Câmara de Representantes para depor no inquérito de destituição, embora se tenha recusado a levar consigo documentos associados ao processo.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório