Meteorologia

  • 19 NOVEMBRO 2019
Tempo
MIN 7º MÁX 14º

Edição

Rapper Dave vence prémio Mercury da música britânica

O rapper Dave é o vencedor do prémio Mercury da música britânica pelo seu álbum de estreia, 'Psychodrama', disco com uma linha narrativa sobre uma suposta sessão de psicoterapia, em que se avaliam consequências do racismo e da pobreza.

Rapper Dave vence prémio Mercury da música britânica
Notícias ao Minuto

10:12 - 20/09/19 por Lusa

Cultura Dave

Dave, de 21 anos, aborda o impacto das condições de vida na saúde mental das minorias étnicas e da classe trabalhadora, no Reino Unido, enquadrado por situações que vão de relações amorosas, ao sistema prisional.

No anúncio do vencedor, realizado na noite de quinta-feira, em Londres, a DJ Annie Mac, que fazia parte do júri, disse que o álbum de Dave, nascido na capital britânica, de pais nigerianos, "demonstra o grande nível da sua capacidade musical, do seu talento artístico", assim como a sua "coragem e honestidade".

Dave interpretou 'Psycho', na sala do Eventim Apollo Hammersmith, onde decorreu a cerimónia, agradeceu à mãe e ao irmão Christopher, preso em 2013, que inspirou o álbum". "É a tua história", disse Dave.

"Ser negro é bem mais profundo do que ser afroamericano", canta Dave em 'Black', de 'Psychodrama'.

Dave alcançou o reconhecimento internacional em 2016, quando o canadiano Drake utilizou um excerto do seu tema 'Wanna Know'.

Desde então Dave publicou vários 'singles', datando deste ano o seu primeiro álbum.

Arctic Monkeys, Antony and the Johnsons, Franz Ferdinand, PJ Harvey, Pulp e Suede estão entre os anteriores distinguidos com o Prémio Mercuruy.

O prémio foi estabelecido em 1992, como alternativa aos Brit Awards, visa a eleição do melhor álbum publicado no Reino Unido ou na Irlanda, nos 12 meses anteriores, e é acompanhado de uma recompensa de 25 mil libras (cerca de 28 mil euros).

A cerimónia, realizada em Londres na noite de quinta-feira, manteve o caráter político, com os Foals a abordarem as alterações climáticas, Anna Calvi a condenar a desigualdade de géneros e os Idles, a "masculinidade tóxica", que leva os homens "a beber e não a chorar".

O 'Brexit' e Boris Johnson estiveram na base da intervenção do rapper Slowthai, que partia como um dos favoritos, pelo seu álbum 'Nothing Great about Britain' ('A Grã-Bretanha não tem nada de grande').

Slowthai surgiu em cena com uma máscara de plástico que simulava a cabeça seccionada do primeiro-ministro britânico, fez do seu álbum palavra de ordem e obteve a uma das maiores ovações do público quando gritou: "Fodam Boris Johnson!".

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório