Meteorologia

  • 22 OUTUBRO 2019
Tempo
15º
MIN 11º MÁX 19º

Edição

Colômbia propõe projeto conjunto para prevenir mais incêndios na Amazónia

A Colômbia propôs na quinta-feira aos homólogos do Brasil, Bolívia, Equador e Peru a realização de um "projeto conjunto" de prevenção face à catástrofe ambiental que se gera na zona brasileira da Amazónia devido aos incêndios.

Colômbia propõe projeto conjunto para prevenir mais incêndios na Amazónia

"Propomos a realização de um projeto conjunto para avançar com a prevenção dos incêndios florestais na Amazónia e construir uma agenda conjunta para fazer face aos efeitos das alterações climáticas, da desflorestação e da degradação dessa zona", disse o ministro colombiano do Ambiente, Ricardo José Lozano, em conferência de imprensa.

Para o projeto conjunto proposto pela Colômbia, o ministro afirmou que "já tem resultados muito bons na luta contra a desflorestação" e lembrou que o país registou 197.159 hectares de áreas desflorestadas de bosques naturais no ano passado, o que supõe uma redução de 22.814 hectares face aos 219.973 de 2017.

O projeto proposto pela Colômbia inclui "empreendimentos com comunidades locais, prevenção e pactos para as florestas nas quais a comunidade concorda em não realizar práticas proibidas em épocas de seca como o mês de agosto", exemplificou o governante sul-americano.

A Amazónia é a maior floresta tropical do mundo e possui a maior biodiversidade registada numa área do planeta. Tem cerca de cinco milhões e meio de quilómetros quadrados, representando cerca de 25% do território da América do Sul, e inclui territórios do Brasil, Peru, Colômbia, Venezuela, Equador, Bolívia, Guiana, Suriname e Guiana Francesa (território pertencente à França).

O número de incêndios no Brasil cresceu 70% este ano, em comparação com período homólogo de 2018, tendo o país registado 66,9 mil focos até ao passado domingo, com a Amazónia a ser o bioma (conjunto de ecossistemas) mais afetado.

Dados do sistema de monitorização por satélite chamado Deter, que é mantido pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais brasileiro (INPE) indicam que em julho a desflorestação da Amazónia aumentou 278% em relação ao mesmo mês do ano passado.

O INPE é o organismo do governo brasileiro que monitoriza os dados sobre a desflorestação e queimadas no país.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório