Meteorologia

  • 22 SETEMBRO 2019
Tempo
21º
MIN 16º MÁX 23º

Edição

PR italiano permite aos partidos negociar novo governo até terça-feira

O Presidente de Itália, Sergio Mattarella, disse hoje, após consultas com os partidos, que há uma maioria parlamentar disposta a formar um novo governo, pelo que vai permitir estas negociações e convocará novamente os partidos na próxima terça-feira.

PR italiano permite aos partidos negociar novo governo até terça-feira
Notícias ao Minuto

19:31 - 22/08/19 por Lusa

Mundo Itália

"Foi-me comunicado por parte de alguns partidos políticos que começaram negociações para formar outro governo" de maioria parlamentar, referiu Sergio Mattarella, esclarecendo que lhe foi pedido tempo para desenvolverem essas negociações.

Em conferência de imprensa, em Roma, o chefe de Estado italiano salientou ser seu dever "não evitar a vontade maioritária do parlamento", além de que, ao mesmo tempo, tem "o dever de pedir, no interesse do país, soluções rápidas".

"Convoquei uma nova ronda de consultas que começará na próxima terça-feira para ouvir, de novo, os partidos e tomar as decisões necessárias", adiantou.

O líder do movimento 5 Estrelas (M5S, antissistema), Luigi di Maio, disse hoje, após ter sido recebido por Mattarella, que está pronto para negociar "uma maioria sólida" no parlamento de Itália e evitar eleições antecipadas.

"Nestas últimas horas, lançámos todas as conversações necessárias para encontrar uma maioria sólida ao serviço dos cidadãos", disse Di Maio à imprensa.

Di Maio não nomeou nenhum partido com o qual admita vir a formar a tal maioria, embora já tenha sido anunciado que o M5S está em conversações com os socialistas do Partido Democrático (PD, centro-esquerda).

Sergio Mattarella concluiu hoje dois dias de consultas para determinar se há uma maioria parlamentar que permita formar um novo governo ou se convoca eleições antecipadas, três anos e meio antes da data prevista, na sequência da demissão do primeiro-ministro, Giuseppe Conte.

O governo de coligação entre a Liga, de Matteo Salvini, e o Movimento 5 Estrelas, de Luigi di Maio, foi dado como findo na semana passada por Salvini, vice-primeiro-ministro e ministro do Interior, ao fim de 14 meses de coexistência difícil.

Segundo a maioria dos analistas, Salvini planeava forçar a antecipação das eleições legislativas para aproveitar o recorde de popularidade de que goza em Itália (36%-38%), sobretudo depois de a Liga ter sido o partido mais votado nas eleições europeias de maio, em que obteve 34% dos votos, contra 17% nas legislativas de março de 2018.

No entanto, o Partido Democrático, de Nicola Zingaretti, assumiu na quarta-feira a possibilidade de formar uma maioria com o M5S para evitar eleições antecipadas.

Os dois partidos iniciaram já conversações, que se adivinham difíceis dadas as cinco condições prévias colocadas pelos socialistas: a "pertença leal" à União Europeia, o "pleno reconhecimento" da democracia representativa e da centralidade do parlamento, o desenvolvimento assente na sustentabilidade ambiental, uma mudança na gestão dos fluxos migratórios e uma viragem na política económica para aumentar o investimento.

Juntos, o PD e o M5S têm a maioria na Câmara dos Deputados (327 em 630).

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório