Meteorologia

  • 19 SETEMBRO 2019
Tempo
17º
MIN 16º MÁX 27º

Edição

Oposição venezuelana anuncia nova fase de mais pressão contra o regime

O presidente do parlamento venezuelano, Juan Guaidó, disse hoje que a oposição tem mantido conversações com o governo dos Estados Unidos e anunciou que chegou o momento de pressionar mais o regime liderado por Nicolás Maduro.

Oposição venezuelana anuncia nova fase de mais pressão contra o regime

"Depois de oito meses de luta, chegou o momento, hoje, de desenvolver um processo com maior pressão", disse, durante um evento na sede do diário El Nacional, em Caracas.

Segundo Juan Guaidó, "todos os mecanismos de pressão sobre o regime são a força para ganhar".

"Chegámos a um momento de importantes definições, a uma etapa máxima de cooperações internacionais. Vamos estender as mãos àqueles militares que se puseram do lado da Constituição, porque temos conversações, mas para a saída de Maduro", acrescentou.

As declarações de Juan Guaidó têm lugar um dia depois de o Presidente da Venezuela Nicolás Maduro ter afirmado que membros do seu Governo, com a sua autorização, mantêm contactos de alto nível com funcionários da administração norte-americana de Donald Trump.

O líder opositor questiona as afirmações do chefe de Estado e acusa o Presidente da Venezuela de pretender "fazer ver que ele é quem está no processo" de conversações com Washington.

"O usurpador está tão desesperado que faz ver que está com o processo, quando depois o desmentem e fica mal, em ridículo", disse.

Guaidó referiu-se também ao diálogo entre o Governo venezuelano e a oposição, que desde maio último decorria sob a mediação da Noruega.

"Eles (Governo) disseram que nunca se levantariam (abandonariam o diálogo) e dias depois se levantaram", destacou.

"Não é que a Venezuela (oposição) já ganhou, é que o regime está derrotado", frisou.

O Presidente Nicolás Madurou disse terça-feira que membros do seu Governo mantêm contactos de alto nível com funcionários da administração norte-americana de Donald Trump.

"Trump disse que os EUA dialogam ao mais alto nível com funcionários venezuelanos e é assim, não é uma novidade", afirmou durante um ato com simpatizantes.

Maduro frisou ainda que "desde há meses" que o seu Governo tem procurado o diálogo e a "forma do Presidente Donald Trump ouvir de verdade a Venezuela".

"Desde há meses há contactos entre altos funcionários do Governo dos EUA, de Donald Trump, e do Governo bolivariano que eu presido, sob a minha autorização expressa, direta", acrescentou.

Hoje, John Bolton, assessor de segurança de Donald Trump, referiu-se aos termos em que decorrem as reuniões com o regime venezuelano.

"Como o Presidente (Donald Trump) declarou, em repetidas ocasiões, para pôr fim ao roubo de recursos do povo venezuelano e à contínua repressão, (Nicolás) Maduro deve ir embora. Os únicos elementos debatidos que estão chegando a Maduro são a sua partida e eleições livres e justas", escreveu na sua conta na rede social Twitter.

A crise política, económica e social na Venezuela agravou-se desde janeiro último, quando o presidente da Assembleia Nacional (parlamento, onde a oposição detém a maioria), Juan Guaidó, assumiu sob juramento as funções de Presidente interino.

Pelo menos quatro milhões de pessoas abandonaram a Venezuela, nos últimos anos, fugindo da crise económica, social e política que afeta o país.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório